Marabá
24°C
Scattered clouds

Militar teve morte encomendada por empresário após traição

O sargento do Exército Lucas Guimarães foi assassinado a mando de Joabson Agostinho Gomes, dono de uma rede de supermercados de Manaus
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Um crime ocorrido no início deste mês e que permanecia sem resposta ganhou contornos inesperados na última segunda-feira (21), quando a Polícia Civil do Amazonas apontou o empresário Joabson Agostinho Gomes, dono da rede de supermercados Vitória, como mandante do assassinato de Lucas Ramon Silva Guimarães, 29, morto a tiros dentro do próprio estabelecimento comercial. De acordo com as investigações, a motivação para o crime teria sido a descoberta de um caso extraconjugal entre a vítima e a esposa de Joabson, Jordana Azevedo Freire. As informações são do Portal do Holanda.

ASSISTA AO VÍDEO:

A morte do também empresário e sargento do Exército Lucas Ramon foi o ponto de partida para a descoberta da trama que envolve traição, desvio de dinheiro, ameaças de morte e crime de encomenda. Ele foi assassinado na noite do dia 1º de setembro, dentro do Mizes Café, estabelecimento que havia aberto apenas dois meses antes na zona sul de Manaus. Lucas foi atingido com pelo menos três tiros na cabeça por um homem que chegou e fugiu do local de motocicleta. O assassino entrou na cafeteria e atirou na vítima diante dos funcionários.

Lucas ainda chegou a ser levado ao Hospital Santa Júlia, de propriedade do seu sogro, Edson Sarkis, e que tem como uma das diretoras a viúva do militar, Elza Gonçalves, mas não resistiu aos ferimentos. A esposa está entrando no quarto mês de gravidez e tem outro filho pequeno de Lucas. Passado quase um mês do crime, a polícia seguia sem pistas do executor, que ainda não foi identificado, pois a placa da motocicleta usada pelo pistoleiro estava adulterada.

A informação que veio à tona na segunda-feira colocou Lucas como alvo de um crime passional e anunciado. Segundo a delegada Marna de Miranda, Joabson Agostinho não apenas teria descoberto a existência de um caso entre ele e Jordana, como também constatou que a esposa havia desviado dinheiro da empresa para presentear o amante. Em depoimento à polícia, a viúva de Lucas, Elza Gonçalves, confirmou que por várias vezes viu o marido com quantias de dinheiro em envelopes com a logomarca da rede de supermercados Vitória.

Segundo a polícia, Joabson chegou a confrontar Lucas após a descoberta da traição e revelar que sabia do dinheiro que Jordana havia lhe dado. O militar decidiu, então, devolver o dinheiro ao empresário – uma quantia de R$ 200 mil – que foi entregue a um funcionário do casal, a pedido da própria Jordana, no Batalhão do Exército onde Lucas trabalhava. A polícia , inclusive, conseguiu fotos dessa entrega. Ele imaginava que com isso cessariam as ameaças de morte feitas por Joabson.

Lucas Ramon era casado com Elza Gonçalves, que estava grávida de três meses quando o marido foi assassinado. Juntos eles têm outro filho pequeno.
Lucas Ramon era casado com Elza Gonçalves, que estava grávida de três meses quando o marido foi assassinado. Juntos eles têm outro filho pequeno. (Reprodução redes sociais)

Nessa época, o militar chegou a adquirir uma arma e contratar um segurança particular temendo alguma represália do empresário. De acordo com depoimentos de familiares de Jordana, após descobrir a traição Joabson chegou a agredi-la fisicamente. Os episódios de agressão foram relatados à mãe e a irmã. Mesmo assim, os dois seguiram com o casamento.

A delegada Marna de Miranda afirmou, ainda, que Jordana sabia que Lucas iria morrer e se manteve em silêncio, por isso, é apontada como participante no crime. Na noite de ontem (20), o casal recebeu informações vazadas sobre a operação que ocorreria hoje, com o cumprimento de mandado de prisão dos dois, e fugiu.

A polícia fez buscas nos cinco supermercados e também na residência, onde os agentes foram recebidos por advogados. Diante disso, foi solicitada à Justiça a prisão preventiva dos dois. Porém, na tarde desta quinta-feira Joabson e Jordana decidiram se entregar e se apresentaram na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

O advogado de defesa do casal, Rafael Grosso, alegou, durante rápida conversa com a imprensa, que Joabson e Jordana Gomes são inocentes e que houve um ‘mal-entendido’. Os dois foram colocados em locais separados para prestarem depoimentos.

Como tudo começou

De acordo com ass investigações, Lucas e Jordana se conheceram em dezembro de 2020, quando o militar começou a prestar serviços gráficos para a empresa dela e do marido. Depois de algum tempo, Ramon passou a se queixar da maneira rude com que Joabson o tratava e decidiu romper a relação comercial, mas Jordana interferiu e passou a tratar diretamente dos serviços com Lucas. A aproximação levou ao caso extraconjugal e, em alguns meses, Lucas já estava recebendo quantias vultosas em dinheiro da amante. (Com informações do Portal do Holanda)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!