Cronograma
das obras foi discutido nesta quarta-feira (12). Trecho I do empreendimento
atenderá a região metropolitana de Fortaleza
As águas
do Rio São Francisco deverão atender a população da capital cearense até o
final deste ano. Para isso, representantes dos governos federal e do Estado
reuniram-se, nesta quarta-feira (12), para tratar do cronograma de obras do
Cinturão das Águas do Ceará (CAC) e do Eixo Norte do Projeto de Integração do
Rio São Francisco. Na ocasião, o ministro da Integração Nacional, Pádua
Andrade, destacou a liberação de mais R$ 10 milhões para garantir o pleno
andamento dos serviços do CAC, que já registram 56,2% de avanço físico.
Maior
empreendimento hídrico em execução no estado com recursos federais, o Cinturão
das Águas levará água do Eixo Norte à região metropolitana de Fortaleza e ao
Cariri cearense. “Entendemos a importância do CAC para garantir o
abastecimento de mais de 4,5 milhões de habitantes, o que se concretizará a
partir do Projeto de Integração. Por isso temos frentes de serviço 24 horas nas
duas iniciativas, justamente para garantir o cumprimento do cronograma e atender
a população ainda neste ano”, destacou o ministro Pádua Andrade.
 
Nos
últimos dois anos, cerca de R$ 500 milhões em recursos federais foram
investidos no trecho I do Cinturão das Águas. Atualmente, 576 equipamentos
estão em operação e 1.380 trabalhadores atuam na execução dos 145 quilômetros
da etapa. 
O
ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos
Marun, participou do encontro que discutiu também a viabilidade de crédito
adicional para conclusão do trecho I do CAC. “Viemos debater com equipes
técnicas do governo, em primeiro lugar, a possibilidade concreta e real de que
as obras sejam concluídas. Além disso, o quanto de recurso complementar é
necessário para que esse objetivo seja atingido”, explicou.
A
previsão do governo estadual é que, com novo aporte extra da União, 80
quilômetros da etapa seja concluída até o final deste ano. A Secretaria de
Recursos Hídricos do Ceará sinalizou a necessidade de mais R$ 100 milhões para
alcançar a meta proposta, que será analisada pelo Governo Federal.
A
captação de água para o CAC será realizada na barragem Jati, estrutura do Eixo
Norte do Projeto de Integração. Depois, seguirá do riacho Seco até o rio
Salgado, que desagua no açude Castanhão – maior reservatório do estado e
responsável pelo abastecimento de Fortaleza. Participaram também do encontro,
 o secretário chefe de Gabinete do governo do Ceará, Élcio Batista e o
secretário de Recursos Hídricos do estado, Francisco Teixeira.
 
Projeto São Francisco
O
Eixo Norte está com 96% das obras finalizadas. Hoje, a etapa 1N possui frentes
de serviço com turnos 24 horas para garantir o cronograma de entrega até o
final do ano. Já os trechos 2N e 3N registram mais de 98% de avanço físico.
Mesmo em pré-operação, o eixo leva água a mais de 12 mil moradores em
comunidades rurais nos municípios de Cabrobó e Terra Nova (PE), desde novembro
de 2017.
Além
disso, desde 2017, parte da população de Pernambuco e da Paraíba já é
beneficiada com as águas do ‘Velho Chico’ que chegam por estruturas do Eixo
Leste do Projeto de Integração. Cerca de um milhão de pessoas de 33 municípios
dos dois estados estão sendo atendidas. Quando todo o empreendimento estiver
concluído, as águas do São Francisco poderão garantir a segurança hídrica de 12
milhões de pessoas em 390 municípios de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande
do Norte.
Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério da Integração
Nacional