Marabá
27°C
Scattered clouds

Mãe esquarteja e enterra bebê de 4 meses no quintal de casa

A investigada tem outra criança, de dois anos, que é criada pelos avós paternos
Ramira disse que matou o próprio filho usando um travesseiro — © Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A jovem Ramira Gomes da Silva, de 22 anos, confessou que matou o filho, de 4 meses, encontrado morto no quintal de casa por um cachorro da raça pit-bull, na cidade de Sorriso (MT). Em depoimento à polícia, ela disse que matou o bebê asfixiando-o com um travesseiro e o esquartejou em seguida, na cozinha, para facilitar a ocultação do corpo.

Na polícia, a mulher confessou que matou o filho na madrugada do dia 14 de maio, sufocando-o enquanto ele dormia em um carrinho de bebê. Ela disse que precisou pressionar o travesseiro por duas vezes para concluir o crime.

Ainda segundo o delegado José Getúlio, após matar o filho, ela pegou o corpo do bebê e o colocou na pia da cozinha, onde cortou braços e pernas, a fim de facilitar a ocultação do cadáver. Em seguida, colocou os membros do filho dentro de duas latas de bebida láctea, embalou-as em sacos de lixo e depositou na lixeira.

Em depoimento, ela informou que levou o restante do corpo do bebê até o buraco e depois cobriu com o restante da terra que estava solta, cavou mais um pouco de terra e terminou de encher o lugar. Foi lá que o cachorro encontrou o cadáver.

Depois do crime, conforme a polícia, Ramira descansou na varanda da casa e à tarde foi ao dentista, seguindo depois para a rodoviária, onde consultou horários de ônibus. A criminosa embarcou para Cuiabá e em seguida para Rondônia.

Ela alegou que matou a criança para seguir com um relacionamento. A investigada tem outra criança, de dois anos, que é criada pelos avós paternos. Natural do estado do Acre, ela morava em Sorriso desde fevereiro deste ano.

A Polícia Civil concluiu nesta terça-feira (25)as investigações e indiciou a investigada por homicídio qualificado (meio cruel, motivo torpe, asfixia e impossibilidade de defesa da vítima) e ocultação de cadáver. Ela será transferida para a Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá (MT). (Com G1)

Policiais deram detalhes do depoimento da mulher
Policiais deram detalhes do depoimento da mulher

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!