Marabá
25°C
Few clouds

Linchamento de jovem com doença mental revolta moradores de Cametá

Vítima sofre de transtornos mentais, causados por uma depressão pós-parto. Ela foi agredida de forma covarde e revoltou a população.
Thaísa foi covardemente agredida - Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Uma cena típica da Era Medieval deixou os moradores da Cidade de Cametá, no nordeste do Pará, boquiabertos, na noite da última terça-feira (17), ao presenciarem o linchamento, a pauladas e cadeiradas, de uma jovem, conhecida como Thaísa, portadora de transtornos mentais.

O crime ocorreu na Travessa Campos Sales, no Bairro de São Benedito, após Thaísa, durante um surto psicótico, agredir outra jovem. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra a barbárie cometida contra um ser humano doente mental por três marmanjos. Ela ficou com ferimentos na cabeça e em várias partes do corpo.

Os indivíduos aparecem nas imagens, agredindo a jovem com cadeiradas e pauladas, alegando que Thaísa provocou um ferimento em um dos olhos de uma parente deles. As primeiras informações dão conta de que a doente mental estaria sofrendo de depressão pós-parto. Depois de ficar sangrando, Thaísa foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cametá.

Nas redes sociais, o clima é de revolta e indignação. “Ela precisa de cuidados, carinho e atenção. Não é frescura ou coisa do demônio. É uma pessoa doente que precisa ser tratada como todas as outras”, comentou um internauta.

“Não sei se ela vive no município de Cametá, mas porque alguém se acha no direito de agredir, “punir”, marginalizar, maltratar, desprezar alguém, que direito você acha que tem? Quem você pensa que é? No fim seu sangue é da mesma cor que o dela, e sua carne sente a mesma dor que a dela, então não seja hipócrita ao ponto de se sentir melhor que ninguém! Assistentes sociais do município de Cametá, vocês estão sendo convidados a fazer algo por essa mulher e por tantos outras que precisam! Alô senhor prefeito, vereadores e tantos outros precisamos de assistência no nosso município!, protestou Luh Moraes.

O Portal Debate Carajás não conseguiu informações a respeito da prisão dos meliantes, mas as agressões sofridas por Thaísa, uma doente mental, acontecem em praticamente em todas as cidades do Brasil.

O poder público e os órgãos de controle e fiscalização social precisam garantir o tratamento e segurança aos portadores de doenças da mente país afora. (Portal Debate Carajás, com Portal Diário de Cametá)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!