Marabá
26°C
Overcast clouds

Justiça Eleitoral rejeita cassação do prefeito de Abel Figueiredo por compra de votos

O processo foi movido pelo candidato derrotado Hildefonso Araújo. Juíza eleitoral arquivou processos por falta de provas
O prefeito de Abel Figueiredo, Antônio Calhau | Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Em Abel Figueiredo, no sudeste do Pará, a Justiça Eleitoral encerrou um processo da época de campanha contra o atual prefeito Antônio Calhau (PL), que foi eleito por muito pouco em novembro do ano passado. Apenas 81 votos separaram o eleito do candidato derrotado, o então prefeito Hildefonso Araújo (PP), que concorria à reeleição.

O processo foi movido pelo candidato derrotado Hildefonso Araújo, que alegava na ação inicial o cometimento de abuso de poder econômico para a compra de votos por parte do candidato eleito Antônio Calhau. A partir das informações fornecidas pela chapa derrotada, o Ministério Público Eleitoral resolveu abrir Ação de Investigação Judicial Eleitoral contra a chapa vencedora.

Na sentença, expedida no último dia 9, a juíza Tainá Monteiro da Costa, titular da 51ª Zona Eleitoral de Rondon do Pará, rejeitou o pedido de cassação e inegibilidade do prefeito Antônio Calhau pela insuficiência de provas sobre a compra de votos alegada pelo ex-prefeito e candidato à reeleição Hildefonso Araújo e também pelo Ministério Público Eleitoral. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!