Marabá
27°C
Overcast clouds

Justiça Eleitoral analisa cassação do prefeito de Palestina do Pará

Prefeito “Claudio da Tetê” teria utilizado maquinários da prefeitura para remover “entulho” em sua própria casa
"Claudio da Tetê" corre risco de perder o mandato | Foto: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Os mandatos do prefeito da cidade de Palestina do Pará, Cláudio Robertino Alves dos Santos (PSDB), conhecido como “Claudio da Tetê”, e do vice-prefeito, César Nilton Nunes do Nascimento (PSD), poderão estar com os dias contados, porque tramita, em segredo de Justiça, uma Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME), por abuso de poder econômico, na Justiça Eleitoral de São João do Araguaia, no sudeste do Pará.

“Claudio da Tetê” é acusado de utilizar a estrutura da Prefeitura Municipal para conseguir votos junto aos eleitores na campanha eleitoral de 2020. Uma das irregularidades seria o uso do maquinário da Prefeitura Municipal para carregar um “entulho” na própria casa do prefeito, localizada na Avenida 16, bairro Cidade Nova, em Palestina do Pará.

A limpeza na residência do gestor foi filmada e fotografada. As imagens estão anexadas à “AIME” e já se tornaram uma “dor de cabeça” para “Claudio da Tetê”, pois, como se diz no mundo político, por muito menos que um “entulho”, dezenas de prefeitos foram cassados Brasil afora devido ao chamado “abuso de poder econômico”, ou seja, neste caso, uso da estrutura da prefeitura em benefício próprio.

A Ação de Impugnação foi movida, em dezembro de 2020, pela coligação do candidato Genildo Pereira de Lira, o “Genildo do Posto”, segundo colocado na disputa eleitoral. “Claudio da Tetê” foi eleito com 2.552 votos, correspondente a (57,99%) e “Genildo do Posto” recebeu 1.849 votos, ficando com (42,01%) dos votos válidos.

Nos bastidores políticos e nas rodas de conversa, “rola”, à boca pequena, que o mandato de “Claudio da Tetê” estaria muito desgastado junto aos eleitores e com pouco apoio na Câmara Municipal de Palestina do Pará. O gestor foi reeleito e estaria fazendo pouco caso para resolver os diversos problemas de Palestina.

Nos próximos dias, para quem “entende do riscado”, caso haja um pedido de cassação de mandato por improbidade administrativa,  o prefeito enfrentaria enormes dificuldades para barrar o processo político, porque ele terminou a legislatura do 1º semestre de 2021 com poucos aliados na base de apoio na Câmara.

O Portal Debate Carajás não conseguiu contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura (Ascom) nem com o prefeito “Claudio da Tetê”, pois os contatos disponibilizados não completaram as ligações,  para ouvir a versão do gestor sobre a ação que tramita na Justiça Eleitoral em segredo de Justiça. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!