Marabá
22°C
Scattered clouds

Junta Governativa se pronuncia sobre eleição no Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Marabá

Junta Governativa está conduzindo o processo eleitoral - Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O presidente da Junta Governativa, José Marcos de Lima Araújo, o “Marcão”, responsável pela organização do processo eleitoral no Sindicato dos Empregados no Comércio do Município de Marabá  e Sul do Pará (Sindecomar) afirmou, no início da tarde de ontem (10), que o papel dos três integrantes é fazer acontecer a eleição, em Marabá, no sudeste do Pará, pois há mais de um ano o Sindecomar está sem diretoria.

De acordo com “Marcão”, a Junta Governativa já identificou que a diretoria afastada pela Justiça do Trabalho era composta, em sua maioria, por pequenos e médios empresários, não pelos trabalhadores. Por isso houve um esvaziamento no número de filiados no Sindicato do Comércio de Marabá porque os comerciários não se sentiam representados. “A diretoria não representava a categoria”, afirma.

Ele disse que estão realizando o levantamento junto às empresas de Marabá do real quadro de filiados. “Queremos uma eleição, limpa, democrática, transparente e que o trabalhador tenha o direito de escolher em quem votar”, argumenta. José Marcos afirmou que a Junta Governativa está realizando um levantamento da situação patrimonial e das dívidas da entidade sindical.

Ele acrescentou que a diretoria eleita precisa contratar uma empresa especializada para realização de uma auditoria, pois há indícios de dilapidação do patrimônio e uma dívida muito grande relativas a ações na Justiça. A Junta já detectou várias dívidas no comércio de Marabá, sentenças condenatórias, transitadas e julgadas, e carro apreendido. Os integrantes consideram lamentável a situação em que se encontra o Sindecomar hoje. No entanto, será divulgado um balanço parcial nos próximos dias.

“Não se pode tentar impedir de votar e ser votado, pois o sindicato é do trabalhador. A entidade sindical é um instrumento de defesa dos comerciários, pois os direitos do trabalhador não foram doados pelo patrão, mas vieram através de lutas e conquistas”, argumenta. “Marcão” disse ainda que os trabalhadores precisam se unir e participar da eleição para poder retomar o controle do Sindicato dos Comerciários de Marabá.

“Os integrantes da Junta Governativa não estão pedindo voto para para nenhuma chapa inscrita. Estamos trabalhando para devolver o comando do Sindecomar para os trabalhadores em Marabá”, finaliza. Já Thiago Barbosa vê com tristeza a infiltração de patrões, tentando interferir em um processo sindical que constitucionalmente pertence ao trabalhador. “Onde já se misturou as relações trabalhistas entre patrão e empregado, o trabalhador sempre saiu perdendo”, finalizou.

A Junta Governativa, composta por José Marcos de Lima Araújo (CTB – Belém)Dineia De Oliveira Capucho (Marabá) e Thiago de Castro Barbosa (CTB – Belém), foi escolhida como Comissão Eleitoral durante uma Assembleia Geral no mês de dezembro de 2020. A atuação da Junta Governativa foi determinada pela juíza Bianca Libonato Galúcio3ª Vara do Trabalho de Marabá, e mantida pela desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, Suzy Elizabeth Cavalcante Koury, em Belém, no dia  5/1/2021.

Fonte: Portal Debate Carajás

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!