Marabá
25°C
Few clouds

Hospital de Campanha de Marabá vira alvo de operação da Polícia Federal

Polícia Federal prendeu 61 pessoas e realizou diversas busca e apreensão durante a “Operação Reditus” no Pará
Crédito: Correio de Carajás
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O Juiz federal, Antônio Carlos Almeida Campelo, retirou o sigilo dos nomes e das informações sobre a “Operação Reditus”, uma extensão da “Operação SOS”, deflagrada Polícia Federal (PF), durante a manhã de hoje (18), como parte do processo que investiga a atuação de Organizações Sociais (OS), durante a pandemia da covid-19, no estado do Pará.

Os recursos desviados, segundo a Polícia Federal, totalizariam R$ 455.625.150,55 e foram repassados pelo Governo do Estado do Pará, por meio da celebração de contratos de gestão, nos anos de 2019/2020. A Reportagem não conseguiu apurar se algum suspeito foi preso em Marabá.

O Instituto Panamericano de Gestão (IPG); Associação da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Pacaembu, Instituto Nacional de Assistência Integral (INAI) e Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui foram alvos de busca e apreensão ou mandados de prisão por agentes da Polícia Federal, em diversas cidades do Pará.

Durante os anos de 2019 e 2020, as organizações  sociais administraram o Hospital Público Geral de Castelo dos Sonhos (Itaituba); Hospital de Campanha de Santarém; Hospital de Campanha de Breves; Hospital Regional Abelardo Santos (HRAS); Hospital de Campanha de Belém; Hospital de Campanha de Marabá; Hospital Público Regional de Castanhal e Hospital Regional dos Caetés, suspeitos de terem causado prejuízos ao erário público.

Segundo a Polícia Federal, Nicolas André Tsontakis Morais ou Nicolas Freire, vulgo “Gordo”, um dos presos na operação de hoje (18), detinha a função de “operador financeiro”, pessoa responsável por transitar em vários núcleos da Organização Criminosa, funcionando como verdadeiro elo de interesses espúrios, era visto como o “chefão”. Veja a lista dos presos:

Veja os nomes dos 61 presos na Operação Reditus da Polícia Federal - Crédito: Divulgação/Polícia Federal

PRISÃO PREVENTIVA

1. CLEUDSON GARCIA MONTALI

2. GILBERTO TORRES ALVES JUNIOR

3. JOSÉ ARNALDO IZIDORO MORAIS

4. JOSÉ BRUNO TSONTAKIS MORAIS

5. NICOLAS ANDRÉ TSONTAKIS MORAIS

6. REGIS SOARES PAULETTI

PRISÃO TEMPORÁRIA

1. ADRIANA MICHELS FERREIRA

2. ADRIANO FRAGA TROIAN

3. ALEXANDRE JEAN TSONTAKIS

4. ALLAN RAPHAEL SILVA

5. ANA CAROLINE LOPES DE OLIVEIRA

6. ANTONIO MENDONCA MENDES FILHO

7. BENEDITO CHAVES POMPEU

8. BRUNO ALBERTO DUARTE BARBOSA

9. CARLOS AUGUSTO DA SILVA GUIMARÃES

10. CARLOS EVANDRO PONTES PINTO JUNIOR

11. CARLOS HENRIQUE DAS CHAGAS

12. CLEITON TEODORO DA FONSECA

13. DANIEL FERREIRA DE MELO

14. EDSON LUIZ TAVARES COHEN

15. EMERSON MAURO VALE TAVARES

16. EVANIE FIGUEIREDO DE MACEDO GARCIA

17. FABRICIO ROGERIO OLIVEIRA DE OLIVEIRA

18. GUILHERME LIMA DA SILVA

19. HAROLDO DALAZOANA AFONSO DURAES

20. ITAMAR SOARES DE CARVALHO JUNIOR

21. IVONE VALLE COCA MORALIS

22. JACKSON CALDAS PINTO

23. JACQUELINE DE MOURA AVELAR REIS

24. JANAINA PEREIRA

25. JOAO LUIS TEIXEIRA VILLELA

26. JOSE CLOVES RODRIGUES

27. JOSÉ DIOGO FERREIRA DE MELO

28. JULIO MOREIRA RIBEIRO

29. KAIO RABELO LEITÃO

30. LEANDRO ALVES MARTINS JACARANDA

31. LUCAS HENRIQUE BOLDARINI

32. LUCAS RODRIGO OLIVEIRA VIANA

33. LUCIA DE FATIMA DO NASCIMENTO

34. LUCIANO COLICCHIO FERNANDES

35. LUCINEIA EUGENIO DA SILVA BOLDARINI

36. MARCELO MACHADO TAVARES

37. MARCOS ANTONIO LOPES MENDES

38. MARCOS AUGUSTO GERALDO DE CARVALHO

39. MARCOS ROBERTO PIRES PINTO

40. MARGARETH DOS SANTOS BRITO

41. MARIANA YOSHIO ISSA

42. MARLÚCIA VIEIRA DE SOUSA MACHADO

43. MICHELL COELHO POMPEU

44. MOACYR FRANCISCO NEVES BRAGA

45. OSVALDO COCA MORALIS

46. PAULO CESAR DE SOUZA BRITTES

47. RAIMUNDO RODRIGUES DA SILVA

48. RAIMUNDO TEIXEIRA DE MACEDO

49. ROBERTO YAN AIRES POSSAS

50. RODRIGO MAGALHÃES BORGES

51. VIVIAN MARIA MONTEIRO DE MELO

52. VIVIANE CRISTINA RIBEIRO MOURA

53. WALBER JUNIOR DE ARAUJO SILVA

54. WALDIR RAIMUNDO DE OLIVEIRA BRITO JUNIOR

55. YASMIN DA SILVA LOPES

O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal vêm, desde 2020, realizando várias operações policiais, no âmbito da saúde pública do Pará, para tentar chegar aos “cabeças” de um suposto esquema criminoso de desvio de recursos públicos na pandemia do coronavírus. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!