Marabá
26°C
Scattered clouds

‘Grávida de gêmeos’: Criança de 10 anos faz aborto e padrasto segue foragido

Padrasto e principal suspeito de estupro continua foragido.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Uma criança, 10 anos, grávida de três meses, “de gêmeos”, em Governador Valares, em Minas Gerais, foi submetida a um aborto ontem (21). O procedimento ocorreu no Hospital Municipal de Governador Valadares, após a menina ser internada na noite de quarta-feira (20). “O procedimento ocorreu seguindo todos os trâmites legais, com total assistência médica”, confirmou a Polícia Civil de Minas Gerais.

O principal suspeito do estupro é o padrasto da menina, que segue foragido. “Todos os esforços e medidas cabíveis estão sendo adotadas para localizar o suspeito”, escreveu a assessoria de imprensa da polícia.

Quem fez a denúncia à polícia foi a mãe da criança, que também espera um filho do homem. Segundo a delegada responsável pelo caso, Adeliana Xavier, a mãe desconfiou do crime quando percebeu que a menstruação da menina estava atrasada.

“Conversando com a filha, ela teria dito que o autor [do estupro] seria o padrasto. A mãe foi tirar satisfação e ele a agrediu”, contou a delegada, em entrevista ao MGTV. A criança ainda teria falado, de acordo com a polícia, que os abusos teriam começado aos seis anos.

O exame apontou que a criança está grávida de três meses. A delegada pediu para a PM (Polícia Militar) a prisão em flagrante do suspeito por ter agredido a mulher, mas ele ainda não foi encontrado.

“O autor teria engravidado a mãe e a enteada. Como que uma pessoa tem a coragem de pegar uma menina com o corpo em formação e estuprar… sabendo que aquilo é errado”, questionou Adeliane.

“Uma menina de 10 anos com uma gestação de risco. Algo que ela não consentiu. Como delegada, eu tenho que me virar do avesso para tirar esse sujeito de circulação. Eu tenho uma mina de 7 anos, e fico pensando: ‘e se fosse minha filha?'”, acrescentou.

Ainda de acordo com a polícia, o padrasto da menina entrou em contato com a companheira para saber sobre seus outros filhos. Ele disse que estava na cidade de Conselheiro Pena, também em Minas Gerais, mas afirmou que iria embora da cidade.

Fonte: UOL

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!