Marabá
27°C
Scattered clouds

Governo Bolsonaro negocia sedes para a Copa América

Para a realização do torneio, são necessárias cinco cidades-sedes. A ideia que é todas as seleções fiquem hospedadas no Rio de Janeiro durante a competição
Governo negocia com governos estaduais a liberação de estádios | Foto: Rodrigo Clemente/EM/DA Press
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Já está praticamente certa a realização da Copa América no Brasil, apesar de dúvidas explicitadas ontem pelo próprio chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos.

Desde ontem à noite, o governo negocia diretamente com vários governos estaduais a liberação de estádios para a realização da Copa América entre os dias 11 de junho e 10 de julho.

E internamente já dá como certo cinco sedes: Brasília, Rio de Janeiro, Goiânia, Cuiabá e Vitória. E ainda trabalha com a possibilidade de outras capitais, como Curitiba.

Para a realização do torneio, são necessárias cinco cidades-sedes. A ideia que é todas as seleções fiquem hospedadas no Rio de Janeiro durante a competição.

‘Comemorar o quê’, diz Omar Aziz sobre Copa América

Omar Aziz, presidente da CPI da Covid, disse que não vê sentido na decisão do governo de sediar a Copa América.

Questionou Aziz:

— Comemorar o quê? Se o Brasil for campeão da Copa América, vai mudar o quê?

Aziz disse que, num primeiro momento, não reagiu criticamente à copa ontem, mas, depois, ao pensar melhor, chegou à conclusão de que o Brasil não tem o que comemorar neste momento.

Senadores pediram a Omar Aziz a convocação do presidente da CBF, Rogério Caboclo, para falar sobre a copa. Otto Alencar também pediu a antecipação de um novo depoimento de Marcelo Queiroga, também para falar sobre o tema. (Lauro Jardim/O Globo)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!