Marabá
24°C
Scattered clouds

‘Gaiola das Loucas’: Atirador se apresenta para a polícia em Marabá

Gabriel Cotta vai responder ao processo em liberdade
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

No início da tarde ontem (2), Gabriel Henrique Cotta Palhares de Miranda, suspeito de descarregar uma pistola automática, para o alto, no início da noite de terça-feira (25), durante o desfile do Bloco de CarnavalGaiola das Loucas, na praça do Novo Horizonte, em Marabá, apresentou-se, acompanhado de um advogado, na 21ª Seccional de Polícia Civil, para apresentar sua versão sobre os motivos que o levaram a ‘atirar para cima’ no meio da multidão.

Desde a noite da terça-feira de carnaval (25), a diretoria Bloco de Carnaval Gaiola das Loucas, Polícia Civil, testemunhas e foliões juntaram esforços para identificar o autor dos tiros. “Frequento o Arrastão do Gaiola das Locas, há 18 anos e nunca ouvi falar em tiros durante o evento. Por esse motivo, me senti na obrigação de contribuir com as autoridades para identificar o suspeito. Fiz o meu papel de cidadão que gosta de brincar o carnaval sem violência”, relatou Egberto Madureira.

O Portal Debate Carajás conversou com o delegado Vinícius Cardoso sobre a apresentação de Gabriel Cotta. O titular da 21ª Seccional de Polícia Civil esclareceu que o suspeito se apresentou após o almoço para o delegado Willian Crispim, responsável pelo caso. “Ele irá responder, em liberdade, pelos crimes de disparo de arma de fogo em via pública e porte ilegal de arma de fogo“, afirmou.

Vinícius Cardoso disse também que desde a ocorrência dos disparos, a Polícia Civil identificou e começou as buscas por Gabriel Cotta. No entanto, como ele manifestou desejo de se apresentar de maneira espontânea, não foi pedida, em princípio, a prisão preventiva dele. O suspeito não pagou fiança porque não foi preso em flagrante delito, mas ele deverá enfrentar uma dose um pouco elevada de ‘dores de cabeça’ no final do processo.

Segundo a diretoria do Gaiola das Loucas, Gabriel é uma pessoa do bem e bastante conhecida em Marabá, porém, ao disparar sua pistola no meio de milhares de pessoas, ele tomou uma atitude tresloucada e sem razoabilidade que poderia ter ceifado a vida de um inocente, por isso deverá pagar pela sua atitude desmedida. “Que o desfecho desse fato lamentável sirva de exemplo para quem sai de casa para brincar carnaval armado”, argumentou um integrante da diretoria.

Há 35 anos, o Bloco Gaiola das Loucas leva alegria, liberdade e irreverência para as ruas de Marabá. Durante mais de três décadas, nunca houve esfaqueamento, tiros nem homicídios nos desfiles da terça-feira de carnaval dentro do circuito. Talvez essa imagem de carnaval sem violência tenha juntado tanta gente, contribuindo para a Polícia Civil identificar Gabriel Cotta. Ao final das investigações, o inquérito policial será enviado ao Ministério Público que vai analisar os autos e se pronunciar sobre o possível indiciamento do suspeito.

Debate Carajás

 

 

 

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!