Marabá
35°C
Clear sky

Forças de segurança e voluntários não encontram Isabela Amaral em Marabá

Criança foi vista pela última vez, no domingo (8), na Folha 16, Núcleo Nova Marabá.
Crédito: PC/Marabá

Uma força-tarefa composta pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Exército Brasileiro, Polícia Civil, voluntários e cães farejadores saiu em busca da garota Isabela Lima Mendes, 10 anos, vista pela última vez no dia 8 de maio de 2022, Dia das Mães, na Folha 16, bairro Nova Marabá, em Marabá, no sudeste do Pará.

Segundo as investigações, os últimos registros de localização dos celulares de Isabela Amaral e do padrasto Eliezer Almeida Amaral, 30 anos, foram nas proximidades da Vila Sororó, a cerca 45 km de Marabá. Várias buscas já foram realizadas nas imediações do km 6 e Folha 6 no Núcleo Nova Marabá, porém nunca se encontrou nem vestígios da menina. As equipes utilizaram até caiaques para percorrer lagos e igarapés, entretanto não encontraram nem sinal da garotinha.

O monstro, Eliezer Amaral, matou a esposa Gleiciane Amaral, a marretadas, e se jogou embaixo dos pneus de uma carreta na rotatória do km 6 e morreu esmagado, no dia 11 de maio de 2022. Desde esta data, diversas buscas já foram realizadas em busca de Isabela Amaral, porém sem nenhum sucesso. Depois de 10 dias de procura, sem êxito, as chances da garota ser encontrada com vida são pequenas.

O corpo de Gleiciane Amaral foi sepultado na vizinha cidade de Parauapebas. Já os restos mortais de Eliezer Amaral foi levado por um irmão e sepultado no Estado do Maranhão. A tragédia familiar só ainda não chegou ao fim porque a pequena Isabela Amaral segue em Marabá. Devido às atrocidades cometidas pelo “monstro de Marabá”, o caso ganhou repercussão nacional. (Pedro Souza/Portal Debate)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!