Marabá
30°C
Clear sky

Família real prepara funeral da rainha Elizabeth

Documento detalha o que deve acontecer até o décimo dia após a confirmação da morte da monarca do Reino Unido
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Um site publicou, na última sexta-feira (3/9), um documento vazado que traz detalhes dos planos da família real britânica para o dia da morte da Rainha Elizabeth 2ª, de 95 anos. Segundo o portal, a operação batizada de “London Brige” (Ponte de Londres, em tradução livre) traz um passo a passo do velório e das ações das lideranças políticas nos dez primeiros dias após a morte da monarca.

Chamado de “Dia D”, o falecimento de Elizabeth será comunicado ao primeiro-ministro britânico por telefone. Em seguida, uma série de ligações seriam disparadas para ministros e figuras políticas do primeiro escalão. “Nós acabamos de ser informados da morte de Sua Majestade A Rainha” será a frase dita ao telefonema, o qual pedirá também a discrição de todos.

Após as principais lideranças serem informadas, as bandeiras em Whitehall, Londres, serão postas a meio mastro. Todos os sites ligados ao governo apresentarão uma tela preta confirmando a morte da rainha. Já as contas governamentais só poderão realizar publicações com autorização do chefe de comunicação do país.

Por fim, seu filho e então o principal membro da monarquia, Príncipe Charles fará um pronunciamento em rede nacional para falar sobre a morte da rainha, que é a dona do trono desde 1952.

Vazamento irritou Gabinete oficial do Reino Unido

O Gabinete do governo do Reino Unido, que dá apoio tanto ao primeiro-ministro Boris Johnson quanto à Família Real, ficou irritado com o vazamento do documento. O jornal inglês The Telegraph informou que a versão do documento publicado pelo portal é de alguns meses atrás.

A publicação ainda destaca que a família real e políticos ficaram “irritados” e “frustrados” com o vazamento, já que a Rainha Elizabeth 2ª está plenamente saudável. O Gabinete deve iniciar um inquérito para descobrir quem enviou o documento ao site Politico. (Com R7)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!