Marabá
26°C
Scattered clouds

Família pede sangue por vítima de arma de fogo em Marabá

A carismática Amanda foi ferida pelo companheiro 11 anos mais velho no São Félix | Foto: Arquivo Pessoal
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Internada no Hospital Municipal de Marabá (HMM) desde a segunda-feira (15), quando foi vítima de disparo de arma de fogo pelo companheiro, Amanda Paula Araújo da Silva, de 18 anos, precisa de sangue O- para fins de manutenção do seu estado clínico, que é delicado naquela unidade de saúde.

A família da jovem divulgou nesta quinta (18) um flyer pedindo sangue por Amanda, que sofreu trauma balístico abdominal. O texto da imagem apresenta a moça como vítima de tentativa de assassinato em Marabá.

Para doar, a pessoa deve procurar o Hemocentro Regional de Marabá, situado na Agrópolis do Incra, no Núcleo Cidade Nova, e declarar na recepção que o destino é o HMM, para Amanda Paula Araújo da Silva, nascida em 6 de novembro de 2002.

Para mais informações, a família dedica o contato (94) 99106-6370, pelo qual respondem o padrasto e a avó da vítima.

Relembre

O responsável pelo disparo foi o marido da vítima, Franciclei Júlio Nascimento, o “Neném”, de 29 anos, que foi preso na tarde desta quarta (17) em ação conjunta das instâncias da Polícia Civil de Marabá. Ele passou dois dias foragido da Justiça, que prontamente expediu mandado de prisão preventiva. O suspeito foi encontrado na casa de familiares no Núcleo São Félix.

Conforme relatado pelo Portal Debate Carajás, tudo aconteceu no imóvel do casal na via de acesso à Praia do Geladinho, também no São Félix, na tarde de segunda (15). O episódio desesperou familiares, que travaram uma verdadeira luta contra o tempo para garantir as melhores condições de saúde para a vítima e a rápida localização do homem.

Franciclei atirou contra a jovem, que tem 11 anos de idade a menos que ele, em casa ao manipular um revólver. O homem teria, inclusive, ligado à família de Amanda para comunicar o que aconteceu pautado na narrativa de acidente, e não tentativa de assassinato.

Ele também acionou o socorro médico, mas diante da gravidade do que fez resolveu abandonar o local antes mesmo da chegada de uma ambulância. Soma-se a isso o fato de que ele poderia ser – e agora será mesmo, no que depender das autoridades – punido por posse ilegal de arma de fogo.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) encaminhou Amanda em delicado estado de saúde para o Hospital Municipal de Marabá (HMM), mas familiares em contato com a Reportagem se queixavam de que era necessário transferência para o Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP), o que acabou não acontecendo em virtude de uma pequena evolução clínica da paciente.

Após ser detido pela Polícia Civil, Franciclei foi encaminhado não para a 21ª Seccional Urbana, mas para a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), que é a responsável por casos de violência de gênero no município. Ele já se encontra na Central de Triagem Masculina de Marabá (CTMM). (Vinícius Soares/Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!