Marabá
27°C
Scattered clouds

Fadesp abre polo em Itupiranga, mas alunos questionam mudança de horários

Alunos que foram aprovados para o ingresso em cursos de graduação pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) relatam uma suposta mudança repentina da grade de horários da instituição, desfavorecendo grande parcela de quem foi selecionado para iniciar o ensino superior
A Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Itupiranga deve abrigar o polo local da Fadesp | Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

No município de Itupiranga, na região sudeste do estado do Pará, alunos que foram aprovados para o ingresso em cursos de graduação pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) relatam uma suposta mudança repentina da grade de horários da instituição, desfavorecendo grande parcela de quem foi selecionado para iniciar o ensino superior.

De acordo com os relatos recebidos pelo Portal Debate Carajás, a Fadesp anunciou há alguns meses a abertura de um polo local em Itupiranga, de modo a atender o público que, atualmente, precisa se deslocar em ônibus escolares até Marabá para cursar uma faculdade.

O que era sonho meses atrás, porém, virou pesadelo nos últimos dias. A Fadesp teria retrocedido na promessa de oferecer os cursos de graduação em Pedagogia e até Direito no período noturno, anunciando que os mesmos cursos passariam para os períodos matutino e vespertino. A decisão da faculdade impossibilitaria o acesso de muitos dos selecionados, que trabalham ou exercem outras atividades durante o dia.

Outra mudança da Fadesp seria quanto ao espaço de instalação do polo. Inicialmente, o local seria a Escola Municipal de Ensino Fundamental Jarbas Gonçalves Passarinho, que fica na Avenida 14 de Julho, mas agora será na sede da Secretaria Municipal de Educação (Semed), que se situa nas imediações.

A Reportagem procurou a administração da Fadesp e também o professor Deyvidon, por meio de número informado por um aluno que entrou em contato com o Debate Carajás. O professor não atendeu às ligações nem respondeu às mensagens enviadas, e a Fadesp também não respondeu e-mails nem atendeu ligações na central de atendimento ao público.

Permanece o impasse entre os alunos e a faculdade, que fica com o espaço aberto neste veículo de comunicação para posicionamento futuro. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!