Marabá
26°C
Overcast clouds

Ex-conselheiro tutelar vê abuso em fiscalização de vereadores no HMM

Estiveram presentes os vereadores Dato do Ônibus (PSL), Raimundinho do Comércio (PL), Márcio do São Félix (PSDB), Cabo Rodrigo (Republicanos), Pastor Eloi (Republicanos), Frank do Jardim União (Solidariedade), Ronaldo da 33 (Solidariedade), Fernando Henrique (PSC) e Pastor Ronisteu (PTB)
Os vereadores passaram pelas alas de atendimento do Hospital Municipal de Marabá | Foto: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Uma comissão formada por alguns vereadores visitou, na manhã desta segunda-feira (19), as dependências do Hospital Municipal de Marabá (HMM). Os parlamentares justificaram que as reclamações por parte da população sobre o mau atendimento e a falta de médicos naquela casa de saúde aumentaram nos últimos tempos. Em contato com o Portal Debate Carajás, o ex-conselheiro tutelar e ativista dos Direitos Humanos Noé Lima da Silva disse enxergar abuso na ação dos vereadores, que chegaram a expor nas redes sociais o rosto de uma criança com graves queimaduras no rosto, o que é vetado por legislação que ampara crianças e adolescentes.

Estiveram presentes os vereadores Dato do Ônibus (PSL), Raimundinho do Comércio (PL), Márcio do São Félix (PSDB), Cabo Rodrigo (Republicanos), Pastor Eloi (Republicanos), Frank do Jardim União (Solidariedade), Ronaldo da 33 (Solidariedade), Fernando Henrique (PSC) e Pastor Ronisteu (PTB). Durante a visita, os vereadores teriam constatado uma fila de pessoas para o atendimento.

Durante a fiscalização, os vereadores teriam acompanhado o atendimento na ala pediátrica e, nesse espaço, registrado os pacientes com os próprios celulares. Em uma filmagem, que foi amplamente difundida nas mídias sociais, aparece uma criança com o rosto desfigurado em função de graves queimaduras. A gravação teria sido realizada sem o consentimento dos responsáveis pela criança. Ao tomar ciência do vídeo, o combativo ex-conselheiro tutelar Noé Lima da Silva encaminhou a repórter do diário jornalístico uma relação com direitos de crianças hospitalizadas e condenou o ato dos parlamentares.

Entre os direitos listados, estão: Direito à preservação de sua imagem, identidade, autonomia de valores, dos espaços e objetos pessoais; Direito a não ser utilizado pelos meios de comunicação de massa, sem expressa vontade de seus pais ou responsáveis ou a sua própria vontade, resguardando-se a ética; e Direito à confidência de seus dados clínicos, bem como direito de tomar conhecimento dos mesmos, arquivados na instituição pelo prazo estipulado em lei.

Para Noé, a criança filmada pode sofrer bullying futuramente. Ele esclareceu que, em nenhum momento, se voltou contra a fiscalização dos vereadores, sendo que o objeto da crítica é apenas a exposição de crianças hospitalizadas. “Isso é uma alta promoção pessoal, politiqueira e barata”, denunciou.

Reunião

Logo após visitarem a casa de saúde, os vereadores se deslocaram até o gabinete do prefeito Tião Miranda (PSD), na sede da Secretaria Municipal de Viação e Obras Públicas (Sevop), para uma reunião pautada nas condições de atendimento do HMM. Tião reconheceu as deficiências da unidade e argumentou que Marabá vem sofrendo muito com a questão de pacientes de outros municípios.

Contudo, o prefeito frisou que realmente existe um déficit atual de médicos em Marabá. E que a PMM está iniciando um processo licitatório para terceirizar os plantões no município, visto que essa é hoje a maior reclamação dos médicos na cidade. Tião informou que, em no máximo 60 dias, todo o processo estará concluso e que assim pretende melhorar a falta desses profissionais.

O grupo de vereadores, durante a reunião com o prefeito, cobrou a presença de médicos de plantão no HMM e que a situação precisa ser melhorada de forma rápida, visto que a casa atende a um grande número de pessoas. (Portal Debate Carajás, com informações da CMM)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!