Quinze alunos dos 4º e 5º ano da escola municipal Walkise Viana, no núcleo do São Félix, conheceram nesta sexta-feira (23), o projeto Quelônios do Tocantins mantido pela Secretaria de Meio Ambiente (Semma). Os estudantes, acompanhados de duas professoras, foram recebidos pela bióloga do Departamento de Educação Ambiental da Semma, Tamires Ribeiro.

Um barco levou os alunos até a praia do Tucunaré, onde a Semma mantém a base do projeto. O engenheiro agrônomo Juscelino Bezerra ensinou os estudantes a identificar na areia um ninho das tartarugas e repassou a importância do desenvolvimento do projeto para preservação da espécie.

“A nossa primeira perspectiva sempre foi de preservação e para isso temos que aplicar uma metodologia que precisa vir acompanhada de uma conscientização, trazendo a comunidade para participar desse projeto. Já temos trazido ribeirinhos e alunos de escolas próximas. Levar mais consciência para, quem sabe no futuro, ter novos adeptos do trabalho de proteção ambiental”, disse Juscelino Bezerra, engenheiro agrônomo.

O projeto Quelônios do Tocantins e Itacaiunas realiza atividades, visando proteção das espécies de quelônios aquáticos no médio Tocantins. Para isso são feitas coletas dos ninhos encontrados nas praias da região adotando a estratégia de translocação desses ninhos para incubação em ambientes protegidos, evitando assim a predação. Para isso é importante saber a influência da realocação de ninhos sobre a taxa de eclosão dos ovos.

Tamires Ribeiro, que coordenava a ação, apresentou o objetivo do projeto aos alunos e repassou cartilhas e informativos educativos. “Conseguimos passar o máximo de informações possíveis para formar cidadãos conscientes e ajudar a preservar o nosso meio ambiente e o nossos quelônios, especialmente os da nossa região”, explica.

De acordo com ela, outras atividades serão realizadas com alunos de mais seis escolas, que integram o projeto de ampliação e educação ambiental. Entre os estudantes estava Manoel Felipe Rubinho de 11 anos, que ficou encantado com as novas descobertas. “Eu achei muito legal e importante as crianças ajudarem na preservação das tartarugas e conhecerem mais, pois aprendi hoje que tartarugas e tracajás fazem buracos na areia para por seus ovos”, disse.

Para a professora Zusciléia Santos, o dia de hoje foi um aprendizado para todos. “Foi uma experiencia maravilhosa esse contato das crianças com  a natureza e conhecer esse projeto Quelônios tão perto da gente. Isso é estimulante para a educação e o contato das crianças com projetos dessa natureza”, disse.

Texto: Victor Haôr

Fotos: Sérgio Silva