A estudante Maria Eduarda (Foto/Reprodução)

Em Parauapebas, a jovem Maria Eduarda Silva Azevedo, de 16 anos, foi assassinada com requintes de crueldade por membros de uma facção criminosa na noite de ontem (14). Ela foi encontrada na manhã desta quarta-feira (15) por um grupo de evangélicos, no momento em que iam orar, no Morro do Macaco, localizado no bairro Rio Verde, com perfurações na região do pescoço provocadas por arma branca.

Não bastasse a violência empregada na execução, a perturbante cena foi gravada pelos criminosos e compartilhada na internet, onde tem repercutido desde a manhã. Em respeito à família, a você e à Lei (art. 212 do Código Penal), o Portal Debate Carajás não divulgará as terríveis imagens.

No vídeo, os desalmados afirmam pertencer ao Comando Vermelho (CV) e que a morte da moça era um ‘acerto de contas’. “Aqui é tudo dois, ele é quem manda aqui em Parauapebas. Essas molecadas que está fechando com o PCC, vão todos morrer, porque a parada aqui é tudo dois, tudo dois (sic)”.

Maria Eduarda foi vista pela última vez no início da noite de ontem, após deixar a Escola Estadual General Euclides Figueiredo, o Euclidão, situada na Cidade Nova, onde cursava a segunda série do Ensino Médio. A informação de que a menina pertencia ao PCC, grupo rival, é contestada pela família, que está desolada, e por colegas.

Uma viatura foi levada para o local onde o corpo foi encontrado para removê-lo ao Instituto Médico Legal (IML). Investigadores da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, liderados pela delegada Yanna Kaline Wanderley de Azevedo, investigam o caso.