Instalações e pessoal do 23º Blog Sl em Marabá

Silêncio é a palavra que descreve a notícia da morte de Maura Dubal Martins, 47 anos, esposa do tenente-coronel Andreos, comandante do 23º Batalhão Logístico de Selva (23º BLog Sl). De acordo com uma nota de esclarecimento publicada ontem, sábado (4), por volta das 23h30, pelas Relações Públicas do Comando da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, em Marabá, no sudeste do Pará, a esposa do oficial superior estaria na residência do casal, por volta do meio-dia, na Vila Militar Presidente Castelo Branco, momento em que teria desferido um tiro na própria cabeça.

Devido à demora em se publicar o pronunciamento da 23ª Brigada de Infantaria de Selva a respeito do ocorrido, pois o TC Andreos ocupa uma das mais altas funções na estrutura de comando do Exército Brasileiro em Marabá, várias especulações passaram a dominar as redes sociais. De início, um texto apócrifo passou a circular em grupos de WhatsApp e no Facebook afirmando a tese de suicídio, mas sem nenhum posicionamento da Polícia Civil, a quem cabe divulgar a causa mortis nesse tipo de crime.

No entanto, ao mesmo tempo, circulava em grupos de WhatsApp a negação da tese, porém sem a chancela da Polícia Civil. Neste tipo de crime, apenas a perícia científica realizada pelo Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” poderá definir a causa da morte da vítima. Através do teste de balística chega-se à tipificação do crime em suicídio ou assassinato. O Exército Brasileiro divulgou a instauração de um Inquérito Policial Militar para esclarecer os fatos envolvendo a morte da mulher. 

Ainda de acordo com relatos na internet, após ser encontrada agonizando, a vítima foi conduzida para o Hospital de Guarnição de Marabá (HGuMba), onde recebeu o primeiro atendimento médico, porém, devido à gravidade dos ferimentos, ela foi transferida para o Hospital Unimed, antiga Climec, onde haveria neurologistas, cirurgiões e equipamentos adequados para o atendimento da vítima, mas não adiantou, ela faleceu.

O Portal Debate Carajás, por volta das 23h, conseguiu falar com o Major Hilton, que responde pela Assessoria de Relações Públicas, onde obteve a nota de esclarecimento abaixo (leia a seguir), publicada pelo Comando da 23ª Bda Inf Sl.

A Unidade Militar faz parte da ‘Força de Ação Rápida’ da 23ª Bda Inf Sl

“Nota de esclarecimento

O Comando da 23ª Brigada de Infantaria de Selva lamenta informar que faleceu, na tarde de hoje, a esposa de militar do 23º B Log Sl. A dependente estava em sua residência, na Vila Militar Castelo Branco, quando cometeu suicídio. Foi evacuada para o Hospital Militar, mas não resistiu. Além dos procedimentos tomados pela Polícia Civil, será instaurado um Inquérito Policial Militar para apurar as circunstâncias que envolveram o fato. Todo apoio à família está sendo dado por este Comando, que se solidariza nesse momento de pesar.”

Debate Carajás


OBSERVAÇÃO

A Lei nº 13.869/2019, conhecida como Lei de Abuso de Autoridade, em seu Art. 13, traz a seguinte redação: “Constranger o preso ou o detento, mediante violência, grave ameaça ou redução de sua capacidade de resistência e exibir-se ou ter seu corpo ou parte dele exibido à curiosidade pública”, com pena de detenção de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa, sem prejuízo da pena cominada à violência. Portanto, com a nova Lei, os veículos de imprensa, inicialmente, não poderão mostrar a imagem de presos ou pessoas submetidas aos ditames da Lei.