Marabá
24°C
Few clouds

Empresários acusam Havan de não cumprir decretos sobre a Covid-19 em Marabá

Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Nos últimos dias, as lojas Havan de Brasília (DF), Rio Branco (AC) e Porto Belo (SC) foram fechadas, por sempre arrumar um ‘jeitinho’ de burlar decretos municipais e estaduais e continuar funcionando normalmente durante a crise sanitária e econômica, provocadas pela Covid-19, no Brasil. A loja pertence ao polêmico empresário bolsonarista Luciano Hang.

Jair Bolsonaro e Luciano Hang – Foto: Reprodução

Em Marabá, no sudeste do Pará, a Havan vem abrindo as portas, provocando revolta em pequenos e médios empresários da cidade que continuam com seus estabelecimentos comerciais fechados. Depois de receber inúmeras denúncias, o Portal Debate Carajás conversou com o delegado Vinícius Cardoso, titular da 21ª Seccional de Polícia Civil, mas ele afirmou que a fiscalização sobre o funcionamento da Havan é de responsabilidade da Divisão de Vigilância Sanitária de Marabá (Divisa).

Foto: Reprodução

Delivery

Denúncias chegam diariamente ao número (94) 99220 8448, Portal Debate Carajás, relatando que a loja continua atendendo a população, normalmente, através das portas dos fundos, contrariando os decretos. Por último, as redes sociais começaram a relatar uma possível venda de comida, no interior do estabelecimento comercial, no intuito de justificar a abertura da loja, mas essa denúncia não pode ser checada in loco.

Foto: Reprodução

Sindicato do Comércio

Raimundo Neto, vice-presidente do Sindicato do Comércio de Marabá, afirmou que a loja Havan não mantém nenhum vínculo representativo com o Sindicom nem com a Associação Comercial de Marabá (Acim). Já Daniel Soares, coordenador da Divisa, argumentou que a Havan não pode funcionar normalmente, pois a loja estaria descumprindo os decretos municipais de Marabá e será fiscalizada.

Foto: Reprodução

O Portal Debate Carajás não conseguiu falar com assessoria de comunicação da empresa, localizada na cidade de Brusque, em Santa Catarina. Na capital do estado do Acre, Rio Branco, o fechamento da Havan foi solicitado pelo Ministério Público Federal (MPF).

Debate Carajás

 

 

 

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!