O manejo de abelhas nativas sem ferrão é
tema de curso que a Embrapa Amazônia Oriental realiza nos dias 5 e 6 de
dezembro, em Marabá (PA). É a primeira capacitação do projeto Agrobio na
região, que visa gerar renda e aumentar a produtividade dos agricultores
familiares na Amazônia Legal
A capacitação ocorre na sede
do Instituto Federal Rural de Marabá, parceiro do projeto e tem como público
prioritário, alunos de cursos técnicos da instituição, em grande parte, filhos
de agricultores de assentamentos da região, além de agentes de assistência
técnica.
O Agrobio  (Abelhas,
variedades crioulas e bioativos agroecológicos: conservação e prospecção da
biodiversidade para gerar renda aos agricultores familiares na Amazônia Legal)
é um dos 11 projetos com recursos do Fundo Amazônia que a Embrapa está
implementando no sudeste paraense, região eleita para receber todas as ações no
Pará. Nesta primeira etapa, leva à Marabá as tecnologias geradas ou melhoradas
pela Embrapa, aplicadas à cadeia produtiva de abelhas  sem ferrão, com o
objetivo de gerar e melhorar a renda dos produtores, com aumento de
produtividade das culturas agrícolas nos assentamentos e novas opções de
negócios a partir dos produtos e subprodutos da meliponicultura, como o mel e a
própolis, conforme explicou o gestor do projeto, o pesquisador  Daniel
Santiago.
Ainda de acordo com o
pesquisador, o Agrobio teve início no segundo semestre de 2018 e atua em três
frentes convergentes que reúne a meliponicultura (criação de abelhas nativas
sem ferrão), o levantamento e cultivo de variedades crioulas, nesse caso, as
plantas alimentícias não convencionais (Pancs) e a identificação de potenciais
bioativos oriundos dessas duas atividades.
IFPA Marabá-Rural, local do curso
ministrado pela Embrapa
Além das capacitações, o
projeto irá instalar Unidades Demonstrativas na área de assentamento, que
servirão como vitrine das tecnologias da Embrapa para a região, como por
exemplo a criação de abelhas para a potencialização do desenvolvimento
sustentável da cadeia produtiva do açaí e da meliponicultura. “A
meliponicultura não visa apenas a produção de mel e derivados, mas a presença
de colmeias junto as lavouras  e pomares potencializam a produção de
frutos, hortaliças e até grãos”, enfatizou o pesquisador. 
Fundo
Amazônia
 –
O Agrobio é um dos 19
projetos em fase de execução que compõem o Projeto
Integrado para a Produção e Manejo Sustentável do Bioma Amazônia
,
financiado com recursos do Fundo Amazônia, operacionalizado pelo Banco Nacional
de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
A Embrapa e parceiros atuam
em todos os estados da Amazônia Legal com o objetivo de reduzir o desmatamento
e promover a preservação e o uso sustentável dos recursos naturais, a partir do
fortalecimento da agricultura familiar da região. No Pará, a Embrapa elegeu o
sudeste paraense e a região irá receber ações de dez projetos diferentes com
dezenas de atividades em diversas cadeias agropecuárias. O curso possui a carga
horária de 16 horas, acontecerá no IFPA Marabá-Rural, localizado no Km 25,
BR-155, sentido à cidade de Eldorado dos Carajás, zona rural de Marabá.
Fonte: Portal Embrapa