Sintepp de Marabá está mobilizando as escolas para participação na Greve Geral de amanhã

Movimentos populares e sindicatos organizam uma greve geral, prevista para acontecer amanhã (14) em todo o país, contra o governo de Jair Bolsonaro. O protesto fará oposição à reforma da Previdência proposta por seu ministro da Economia, Paulo Guedes, e às ações do atual ministro da Educação, Abraham Weintraub, encarado como ‘conservador’ pela oposição.

A mobilização em Marabá conta com o Fórum Municipal de Entidades, que tem atuado em várias frentes contra os bloqueios de recursos da Educação e em defesa, segundo o movimento, de uma Previdência ‘mais justa’. De acordo com Joyce Rebelo, coordenadora do Sintepp Subsede Marabá, “O dia 15 de maio foi denominado como Tsunami na educação do Brasil, havendo a unificação de escolas públicas, particulares, universidades e instituições educacionais em defesa de direitos conquistados ao longo de anos de luta”.

Segundo os organizadores, o 2º Dia em Defesa da Educação ocorreu em 30 de maio junto aos ‘estudantes’, tendo em vista que o governo Bolsonaro vem tratando a Educação como ‘principal inimigo’.

Os grevistas também criticarão o corte dos cursos de Filosofia e Sociologia. A organização nacional do movimento pretende parar o país amanhã por não aceitar o que chamam de ‘retirada de direitos’. Joyce Rebelo classifica o governo Bolsonaro como ‘conservador, autoritário, machista e misógino’.

Em Marabá, universidades, institutos federais, escolas estaduais públicas, Correios, bancários, movimentos populares, estudantis, movimentos do campo e da cidade estão em ampla mobilização desde o início do mês. A concentração ocorrerá em frente ao INSS, na Cidade Nova, às 7h30.