Em Marabá, entidades organizam greve geral contra governo Bolsonaro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Sintepp de Marabá está mobilizando as escolas para participação na Greve Geral de amanhã

Movimentos populares e sindicatos organizam uma greve geral, prevista para acontecer amanhã (14) em todo o país, contra o governo de Jair Bolsonaro. O protesto fará oposição à reforma da Previdência proposta por seu ministro da Economia, Paulo Guedes, e às ações do atual ministro da Educação, Abraham Weintraub, encarado como ‘conservador’ pela oposição.

A mobilização em Marabá conta com o Fórum Municipal de Entidades, que tem atuado em várias frentes contra os bloqueios de recursos da Educação e em defesa, segundo o movimento, de uma Previdência ‘mais justa’. De acordo com Joyce Rebelo, coordenadora do Sintepp Subsede Marabá, “O dia 15 de maio foi denominado como Tsunami na educação do Brasil, havendo a unificação de escolas públicas, particulares, universidades e instituições educacionais em defesa de direitos conquistados ao longo de anos de luta”.

Segundo os organizadores, o 2º Dia em Defesa da Educação ocorreu em 30 de maio junto aos ‘estudantes’, tendo em vista que o governo Bolsonaro vem tratando a Educação como ‘principal inimigo’.

Os grevistas também criticarão o corte dos cursos de Filosofia e Sociologia. A organização nacional do movimento pretende parar o país amanhã por não aceitar o que chamam de ‘retirada de direitos’. Joyce Rebelo classifica o governo Bolsonaro como ‘conservador, autoritário, machista e misógino’.

Em Marabá, universidades, institutos federais, escolas estaduais públicas, Correios, bancários, movimentos populares, estudantis, movimentos do campo e da cidade estão em ampla mobilização desde o início do mês. A concentração ocorrerá em frente ao INSS, na Cidade Nova, às 7h30.

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!