Marabá
29°C
Overcast clouds

Dívida de R$ 30 mil pode ter motivado morte de professora. Diz família no interior do Pará

Crédito: Facebook
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Uma dívida de 30 mil reais pode ser a motivação para a morte da professora Nice Salvatory. A suspeita é da família, que entregou à Polícia Civil imagens de câmeras de segurança que mostram a vítima sendo seguida após sair de uma residência onde esteve para cobrar o valor.

Nice saiu de casa na sexta-feira, 11, para fazer cobranças de empréstimos e não retornou. O veículo da vítima e a bolsa da professora foram encontrados horas depois.

Foi o marido de Nice, Jhon Lenon Pereira, que solicitou as imagens aos proprietários das residências ao longo do trajeto percorrido pela esposa. Segundo ele, em um dos arquivos é possível observar o carro da professora sendo seguido por um veículo de cor prata, inclusive com a identificação da placa.

A família suspeita que a morte da professora esteja relacionada com um empréstimo no valor de 30 mil reais feito à empresários da cidade ligados ao ramo da construção civil. Um caderno de anotações referentes as diversas dívidas também estão em posse da Polícia. Nice não lecionava há dois anos e obtinha renda por meio de vendas de roupas, cosméticos e empréstimos de dinheiro a juros.

Na tarde de segunda-feira, 14, um corpo foi encontrado numa área de mata na Vila Puacê, na zonal rural da cidade. O caso segue em investigação e o corpo encontrado permanece sem identificação no Centro de Perícias Renato Chaves, em Belém.

Em nota, o CPRC informa que o corpo de uma mulher, encontrado em Moju, foi submetido a análise papiloscópica e reitera que, até o momento, não recebeu familiares fazendo procuração pelo corpo.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sitepp) emitiu uma nota de pesar pela morte de Nice Salvatory, ressaltando a contribuição da professora com a educação pública no município de Moju e pedindo justiça ao caso. Confira o texto na íntegra:

“Estimada e querida professora, todos nós temos sempre algo a ensinar e a aprender, mas algumas pessoas nasceram para deixar uma marca forte nos outros, algumas pessoas vieram ao mundo com o dom de, através da sua perspicácia, transmitirem pensamentos e ensinamentos que jamais podem ser esquecidos. Você foi definitivamente uma dessas pessoas, e, agora que sua vida chegou ao fim, não há como não sentir um vazio, uma dor inexplicável. Que perda terrível para todos nós!
Seu jeito único de ajudar os outros a crescer, sua forma muito especial de transmitir valores, o entusiasmo que demonstrava pela sua função de educadora são virtudes que dificilmente se encontram nos dias de hoje. A nossa gratidão não tem limites pela experiência de aprendizagem que você nos proporcionou, e levaremos para sempre cada palavra debitada pela sua boca.
A vida parece as vezes ser injusta, porque há pessoas que mereciam ser eternas.
Nos solidarizamos com os familiares e nos colocamos a inteira disposição.
Pedimos justiça! Descanse em paz!”
Fonte: Roma News

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!