Marabá
35°C
Clear sky

Deputados definem regulamento e plano de trabalho da CPI da Vale

Métodos de investigação foram aprovados nesta terça pelos parlamentares
Crédito: Vale/Reprodução/Facebook
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O regulamento e o plano de trabalho para investigar a atuação da empresa Vale no Pará foram aprovados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) nesta terça (8) na Assembleia Legislativa do Estado (Alepa).

A CPI foi instalada no dia 26 de maio, e deve ser presidida pelo deputado Eraldo Pimenta (MDB). “O que queremos questionar é o que a Vale pode fazer pelo nosso estado, e não apenas atender a seus próprios interesses, já que o lucro líquido da empresa é muito superior ao próprio orçamento do Estado”, avalia o deputado Eraldo Pimenta.

O deputado Igor Normando, relator na CPI, apresentou os detalhes do plano indicando quem deve ser convocado para depoimentos e as diligências para a investigação.

Segundo o parlamentar, “o plano de trabalho contempla as sugestões de todos os deputados que integram a comissão”. “Acredito que é o melhor ponto de partida para iniciarmos o trabalho neste momento”, declarou.

Normando informou que, até o final de semana, serão encaminhados aos órgãos públicos e à Vale os pedidos de informações.

O deputado Carlos Bordalo (PT), vice-presidente da CPI, pediu a inclusão de representantes dos trabalhadores da Vale entre as pessoas que serão convocadas para oitivas e audiências públicas da CPI.

“Precisamos ouvir quem está na ponta, trabalhando para a produção de riquezas para a empresa. Nesse aspecto, é muito importante investigar os aspectos relacionados à saúde dos trabalhadores e possíveis contaminações ambientais resultantes dessa atuação no Pará”, avaliou Carlos Bordalo. (G1 Pará)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!