Alunos e docentes da Escola Estadual Plínio Pinheiro, localizada no núcleo Velha Marabá, levaram as atividades do Setembro Amarelo na tarde de quinta-feira (26) para a Praça São Félix de Valois. As ações pedagógicas são voltadas para o combate à depressão e ao suicídio entre alunos e familiares.

Palestras, teatro, reuniões de pais, ginástica laboral e zumba foram utilizados como forma de abordagem da segunda doença que mais mata jovens no Brasil, a depressão. Coordenado pelas professoras Déborah Soraia e Adriana Santos, o projeto foi iniciado em 2017 e, neste ano, adotou a temática “Você não está sozinho”, visando a fomentar a discussão e prevenção sobre o combate ao suicídio.

Na noite de ontem (27), professores e alunos apresentaram as atividades do Setembro Amarelo no Carajás Centro de Convenções, durante a 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro, apresentando-se através da música e do teatro. De acordo com as organizadoras, a depressão entre jovens é uma doença letal e se não for tratada a tempo nem receber os devidos cuidados da escola e da família, leva ao suicídio.

Professores e alunos participantes da atividade escolar

Pedro Souza