Marabá
31°C
Clear sky

Depois de 18 anos, Jovem abusada na infância reconhece suspeito pela TV no interior do Pará

Rosiane e Paulo Esquerdo negam as acusações de violação sexual mediante fraude — Foto: Reprodução/Facebook
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Uma jovem abusada, há 18 anos, reconheceu em Santarém, no oeste do Pará, o responsável pelos abusos cometidos quando ela tinha 5 anos. O homem e a esposa eram líderes em uma igreja evangélica e foram presos na quarta-feira (20) suspeitos de cometer crimes de violação sexual contra outras quatro vítimas.

De acordo com a jovem, que preferiu não ser identificada, na época do crime ela tinha 5 anos de idade e o homem começou a frequentar a residência da família se passando por professor.

Ele havia se apresentado como um dos monitores da Pastoral do Menor (atualmente Centro Bom Pastor) e ofereceu serviços de reforço escolar. A família acreditou na versão do suposto professor e permitiu que ele desse as aulas particulares para a criança.

Atualmente com 23 anos, a jovem disse ainda que os abusos começaram com carícias maliciosas, mordidas na orelha e beijos no rosto. Posteriormente ele avançou, tocando as partes íntimas.

“Na época eu contei para a minha mãe o que tinha acontecido. Ela o xingou e expulsou de casa, ela não teve de início a ideia de denunciá-lo. Depois ela denunciou, mas nunca soubemos o paradeiro dele”, disse a jovem.

A mãe da jovem contou que na época acreditou na versão de que se tratava de um professor e permitiu o acesso do homem na residência, confiando na vigilância de uma babá que a família tinha na época.

“A moça que fica em casa com a minha filha não percebeu o que estava acontecendo. A minha filha me contou, mas na época eu não tive a inteligência de chamar a polícia”, contou a mãe da moça.

Mesmo após 18 anos dos abusos, a jovem contou que reconheceu o abusador quando soube da prisão dele na quarta-feira (20). Ela contou que ela nunca esqueceu o rosto do homem.

“Desde aquele tempo, a imagem dele nunca saiu da minha cabeça. Quando eu soube da prisão, eu fiquei muito nervosa, foi como se a minha alma tivesse saído de mim”, disse a jovem.

Prisão de casal

O homem que a jovem reconheceu como sendo o responsável pelos abusos, foi preso com a esposa na quarta-feira (20). Paulo Esquerdo e Rosiane Esquerdo, líderes de célula da Paz Church, no bairro Amparo, são suspeitos de aliciar sexualmente duas adolescentes e duas jovens, usando o nome da igreja e prometendo cura.

De acordo com a denúncia, os investigados agiam de forma fraudulenta, alegavam que as vítimas deveriam se relacionar sexualmente com o investigado para obter a cura interior, pois ele recebia o espírito do “Rei antigo”. Os suspeitos negam as acusações feitas pelas vítimas.

A Polícia também investiga a informação de que uma das vítimas (adolescente) acabou engravidando, e que o pai do bebê que ela espera seria o líder religioso Paulo Esquerdo.

Posicionamento da igreja

Após tomar conhecimento do caso por meio da imprensa na manhã desta quarta-feira, a Paz Church se manifestou sobre o caso por meio de seu advogado Eduardo Nascimento informando que já tomou a providência de retirar do casal Paulo Esquerdo e Rosiane Esquerdo qualquer liderança que eles ainda pudessem ter junto aos membros da igreja, mesmo reconhecendo que eles têm direito ao contraditório e à ampla defesa.

Eduardo disse ainda que a Paz Church não compactua com o tipo de conduta atribuída pela Polícia ao casal, muito pelo contrário, até em razão dos princípios cristãos que ela defende.

O advogado Eduardo Nascimento informou que a Paz Church vai procurar as vítimas do casal para oferecer apoio psicológico e que vai acompanhar o desenrolar do caso e das investigações para adoção de outras medidas.

Fonte: G1 – Santarém

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!