Agonizando, ao vivo, o ex-boxeador, José Adilson
Rodrigues dos Santos
, 60 anos, “o Maguila”, apareceu, em um vídeo,
divulgado nas redes sociais, ontem (29), pedindo ajuda para sair da clínica
terapêutica, onde está internado, na cidade de Itu, interior de São Paulo. A
aparência frágil e a fala debilitada do ídolo nacional, nos anos 90, chocou os
fãs de um dos maiores ícones esportivos do Brasil em todos os tempos.
 
O maior peso-pesado da história do boxe brasileiro faz
tratamento contra uma enfermidade neurodegenerativa, evolutiva e incurável, a
chamada demência pugilística (ETC), acompanhada do Mal de 
Alzheimer, provocados por fortes pancadas na cabeça. A doença causa dificuldades motoras e distúrbios de memória. No vídeo, Adilson
Rodrigues “Maguila”, afirma que a esposa e a instituição o proíbem de deixar o
complexo clínico de Itu. A família rebate.
 
Apelo aos fãs
 “Tô aqui nessa clínica internado, que a
minha mulher me colocou aqui. Eu quero ir embora, mas a clínica não deixa.
Estou há um ano e meio aqui. A clínica não quer deixar eu ir embora porque é
propaganda para a clínica. Ela não quer deixar eu ir embora. Eu quero uma força
de vocês aí, meu povo, para eu ir embora daqui”
. Suplicou Maguila durante a
gravação. 
Tratamento
A clínica onde ele está tem
36 mil metros quadrados, mas parece com um sítio. Quando chegou ao local, em
novembro de 2017, o pugilista entrou em uma maca, em situação crítica e se
alimentava através de uma sonda. O estado era considerado terminal pelos
médicos. A sobrevivência dele dependia da mudança no tratamento, reabilitação
do organismo e contenção das avarias em seu cérebro, lesionado após uma
carreira toda dedicada ao boxe. Com o tempo, Maguila foi melhorando seu estado
de saúde.
 
O que diz a esposa
A mulher de Maguila afirmou que houve má-fé de outro paciente
que gravou o vídeo, uma vez que o ex-boxeador estava em mal estado de saúde.
Segundo ela, o acolhido postou o vídeo em suas redes sociais e ele viralizou. “O Adilson ficou dois dias sem tomar o medicamento,
se recusou a tomar. A clínica tentou “de tudo” para ele ingerir a medicação,
mas ele não quis. Se você perguntar agora, ele não sabe que falou isso, a
pessoa foi maldosa”
, disse Irani Pinheiro.
 
Versão da clínica
Segundo
o terapeuta responsável, Pales Campos, um ex-paciente tinha um celular e
proferiu as palavras, pedindo para o ex-boxeador repeti-las. “Maguila não está abandonado por ninguém.
Ele está bem cuidado. Essa pessoa criou essa inverdade, essa situação
constrangedora e já foi identificada e será penalizada por essa mentira
. De um ano para cá, os médicos mudaram a conduta
medicamentosa e Maguila teve melhora
significativa de
seu estado de saúde.