Familiares da idosa Júlia Maria da Conceição Sousa, que morreu aos 100 anos na tarde de quarta-feira (21), estão revoltados após a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Satélite, na zona leste de Teresina, encaminhar o corpo errado para a funerária. 

De acordo com informações, a idosa morreu por volta das 13h50 na Unidade de Pronto Atendimento do Satélite. Após a confirmação do óbito, a família realizou todo o processo para a transferência do corpo da UPA para a funerária, onde aconteceria o velório. Na funerária, a família foi chamada para assistir à preparação do corpo para o velório e se surpreenderam ao se deparar com outra pessoa. 

Revoltada, a família tentou procurar a direção da UPA, mas, segundo a família, a diretora do local, Luciana Sebim, colocou a culpa na funerária e demonstrou desprezo à situação. Com isso, a família decidiu ir buscar meios judiciais devido ao constrangimento passado no momento delicado. 

Devido à confusão, o velório que estava previsto para iniciar no fim da tarde de quarta-feira foi iniciar só no fim da noite e sepultado na manhã dessa quinta-feira (22) no Cemitério São Judas Tadeu.

A funerária emitiu uma nota afirmando que todo o procedimento de liberação do corpo foi feito pela equipe de profissionais do hospital, sem a presença de familiares da idosa.

Meio Norte