Marabá
26°C
Scattered clouds

Conheça as estranhas “clonagens” do celular de Helder Barbalho

Governador alega que teve seu número de telefone clonado pela segunda vez em menos de um ano e dois meses
Governador Helder Barbalho - Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O Portal Debate Carajás recebeu, em suas redes sociais, dezenas de mensagens, durante a noite desta terça-feira (20), achando estranha a nova suposta clonagem do número de telefone do governador Helder Barbalho (MDB), pois já seria o 2º “ataque cibernético” sofrido pelo político em menos de um ano e dois meses.

A primeira suposta “clonagem” ocorreu, no dia 25/5/2020, duas semanas antes da Polícia Federal (PF) deflagrar a “Operação Pará Bellum”, em 10/6/2020, para apurar suposta fraude na compra de respiradores pulmonares pelo governo do Pará. Na época, a PF informou que se debruçava sobre um contrato de R$ 50,4 milhões feito com dispensa de licitação, justificada pelo período de calamidade pública do novo coronavírus. Helder nega as supostas irregularidades e diz que não houve dano ao erário público.

Na “Operação SOS”, deflagrada pelas Polícia Federal, em 29/9/2020, Helder Barbalho foi alvo de busca e apreensão e teve os secretários Parsifal Pontes e Antônio de Pádua e seu assessor de gabinete, Leonardo Nascimento, presos. O Ministério Público apurava supostas irregularidades na contratação de organizações sociais (OS) para gerir hospitais, inclusive os hospitais de campanha para reforçar o combate à pandemia da covid-19.

Já na noite de ontem (20), uma semana após a “CPI da Covid”, em Brasília, anunciar que teve acesso aos processos relacionados ao governador do Pará, com supostas irregularidades na aplicação de recursos públicos, destinados a combater a pandemia do novo coronavírus, Helder anuncia, via Twitter, que foi alvo de um hacker “de novo”.

Pode ser uma grande coincidência, mas, na política, “quando jabuti sobe em árvore, alguém colocou o ‘cascudo’ lá”. Nas redes sociais, os internautas ficaram divididos. Uma parte acreditou nas postagens de Helder, mas as outras pessoas sugeriram que o governador teve acesso a informações sobre novas incursões da Polícia Federal lá para as bandas do Palácio Lauro Sodré, sede do governo do Estado do Pará. (Pedro Souza/Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!