João Batista Portal dos Santos, de 49 anos, foi executado com a tiros em Icoaraci, distrito de Belém (Eli Pamplona)

O comerciante João Batista Portal dos Santos, de 49 anos, foi executado com a tiros no começo da tarde deste sábado (21), em Icoaraci, distrito de Belém. As circunstâncias do assassinato do pequeno comerciante, que possuía uma panificadora e alguns imóveis, ainda são desconhecidas.

Informações preliminares colhidas pela Polícia Militar dão conta de que a vítima havia acabado de chegar em sua residência, situada na travessa 8, às proximidades da rua L1, no bairro do Paracuri II. Era por volta de 12h50, horário de almoço, a vítima degustava uma laranja quando foi chamada pelo nome no portão de sua casa. Aparentemente, o comerciante conhecia os suspeitos, pois saiu da residência e foi conversar normalmente com os suspeitos.

Os atiradores, que as testemunhas não souberam determinar quantos seriam, chegaram à localidade em um carro branco, de marca e modelo não identificados. Eles dispararam várias vezes contra João Batista e fugiram em seguida. O comerciante morreu na hora. O corpo dele ficou estirado no asfalto sob sol intenso ao lado da fruta parcialmente consumida que ele comia minutos antes de ser morto.

O crime deixou a comunidade do bairro do Paracuri II atônita. Moradores do entorno disseram, entristecidos, que o comerciante era uma pessoa trabalhadora, batalhadora, que aparentemente não possuía nenhum envolvimento com a criminalidade. Alguns lembraram que ele fora assaltado no final do ano passado e, armado, reagiu, mas não conseguiram encontrar nenhum outro episódio que pudesse ter relação com o homicídio.

Familiares do comerciante, muito abalados, foram levados para a Seccional Urbana de Icoaraci para prestar depoimento e fornecer detalhes que possam ajudar a elucidar o crime. O corpo de João Batista foi removido algumas horas depois da ocorrência, por volta de 15h, e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), para realização de exames de necropsia. O caso será investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

O Liberal