Marabá
31°C
Clear sky

Chuva não cancela reabertura e bares faturam em Marabá

Este estabelecimento no Belo Horizonte registrava ocupação em grande parte das mesas na visita da reportagem | Foto: Portal Debate Carajás
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Após 27 dias de vigência da proibição do funcionamento de bares e até mesmo limitação do horário para venda de bebidas alcoólicas em restaurantes, a Prefeitura de Marabá baixou novo decreto permitindo a reabertura dos estabelecimentos noturnos de forma controlada. O entendimento despontou depois que o estado decidiu por flexibilizar as atividades econômicas. A sexta-feira (19) foi o primeiro dia da retomada.

Como lamentavam os habituais frequentadores dos estabelecimentos via redes sociais durante a noite, porém, quando não é o poder público, é o clima a tentar invertida na atuação de bares e casas de eventos da cidade.

A primeira noite com a reabertura foi de pancadas de chuva a partir das 19h, como previsto pela meteorologia, o que atrapalhou a saída de casa de muitas pessoas. O clima chuvoso foi obstáculo, sim, mas não constituiu impeditivo para a parcela mais aguerrida dos consumidores. Houve comparecimento, tímido, aos bares e estabelecimentos congêneres.

A Reportagem do Portal Debate Carajás frequentou quatro bares da cidade durante a noite e constatou dinâmica moderada em função da chuva, o que permitiu o cumprimento das medidas estabelecidas pela prefeitura, quais sejam a limitação da capacidade de pessoas a 50% por ambiente; distanciamento de 1,5 metro entre as mesas e 1 metro entre as cadeiras; limpeza e desinfecção do mobiliário constantemente; proteção da máquina de cartão de crédito e débito com papel filme; disponibilização de álcool em gel aos consumidores; e divulgação de informações para o combate à covid-19.

Em um dos bares visitados, no Bairro Belo Horizonte, Núcleo Cidade Nova, havia apenas quatro mesas ocupadas na área externa. O proprietário do local conseguiu distanciar as mesas e as cadeiras, mesmo que o grupo de amigos que as ocupava tentasse agrupá-las. Cumprimento rigoroso das medidas, com fechamento pontualmente à meia-noite.

Outro bar, na Avenida Marechal Deodoro, na Orla da Marabá Pioneira, recebeu menos clientes que o habitual para uma sexta-feira. Por lá, ao contrário do que fora observado no estabelecimento anterior, houve junção de mesas e cadeiras por jovens bem trajados. Eles estavam sob uma tenda já na área da orla.

Pelo menos cinco mesas eram ocupadas durante a chuva neste bar

Já no Núcleo Nova Marabá, um conhecido bar em posto de combustível da Folha 32 seguia todas as disposições de prevenção ao contágio pela doença do novo coronavírus, inclusive com funcionário na entrada administrando álcool em gel. O movimento foi regular no estabelecimento até o horário de fechamento. Algumas mesas ficaram vazias.

Já no Núcleo São Félix, outro frequentado bar às margens da BR-222 tocou música ao vivo para comemorar a reabertura em seu primeiro dia, mas a chuva frustrou as expectativas do proprietário. Do total de 12 mesas, sete foram ocupadas. Mais do que a metade, na pior das hipóteses. Sinal de que, mesmo menor, a receita não foi interrompida como em outrora. E, além disso, ensejou respeito às medidas preventivas.

Fiscalização foi apelidada de “patrulha do cancelamento” pela rapidez com que chegou aos bares à meia-noite

À meia-noite, viaturas da Polícia Militar, da Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa) e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) passavam pelos bares a fim de verificar o respeito ao horário de funcionamento. Repórter do Portal estava no bar do Belo Horizonte quando isso aconteceu.

A fiscalização foi batizada de “patrulha do cancelamento” pelos clientes, em alusão ao que é praticado por grupo ideológicos contemporâneos, na internet, com a intenção de prejudicar econômica e socialmente indivíduos em conflito com determinado posicionamento.

A previsão do tempo para este sábado (20) em Marabá é de mais chuva: 30 milímetros e 90% de possibilidade de o estudo meteorológico se confirmar. (Vinícius Soares/Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!