Marabá
22°C
Scattered clouds

Caso Cristiane: Hipermercado demite funcionária agredida em Marabá

Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A atendente de caixa, Cristiane Gomes de Souza, casada, funcionária de um Hipermercado, localizado, no bairro Nova Marabá, às margens da BR-230, em Marabá, no sudeste do Pará, foi demitida, ontem (8), pela gerência local da rede de supermercado, sediada em Belém, no estado do Pará.

Cristiane acusa um cliente de tê-la agredido verbalmente com os impropérios “Rapariga, prostituta, bosta, empregadinha de merda!” e “Bosta, ridícula, sua feia!”. Desde essa época, a vítima luta pela condenação do suspeito, pelos crimes de  injúria, discriminação social e ataques contra a honra, mas o caso ainda tramita na Justiça de Marabá.

Durante o inquérito policial, segundo Cristiane, funcionários foram coagidos e ameaçados para não depor contra o “cliente”. No dia 5/11/2020, uma atendente de caixa teria sido ameaçada pelo suspeito, registrou um boletim de ocorrência, porém, como apoio por parte da empresa, recebeu uma sumária demissão. A partir das agressões, Cristiane desenvolveu a síndrome do pânico, pois o agressor continuou a frequentar o hipermercado como se nada tivesse acontecido e foi afastada do trabalho por decisão médica.

No dia 22/9/2020, através de ofício, o advogado Dr. Rodrigo Botelho, solicitou ao hipermercado que sua cliente, passasse a portar o aparelho celular em horário de trabalho, com a finalidade de acionar a polícia e a família, caso o agressor se aproximasse dela, pois não havia sido pedido medida protetiva. A gerente local, em conversa com o esposo da vítima, teria concordado com o pedido e autorizado o uso do aparelho celular.

No entanto, de acordo com a gerência de Marabá, o departamento jurídico, em Belém, decidiu demitir a funcionária sob alegação de que ela estava usando celular em horário de trabalho. No dia 12/1/2020, o delegado Thiago Carneiro, Superintendente de Polícia Civil do Sudeste do Pará, responsável pelo inquérito policial, vai avaliar um pedido de medida protetiva, solicitado pela atendente de caixa.

Hipermercado alegou justa causa para demitir Cristiane Gomes – Crédito: Arquivo pessoal

“Bote errado”

A Redação do Portal Debate ouviu, na manhã de hoje (9), lideranças sindicais ligadas aos trabalhadores do comércio, sobre a legalidade da demissão de Cristiane Gomes. Os sindicalistas foram unânimes em afirmar que Cristiane só poderia ser demitida por “justa causa”, pois a funcionária faz parte da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) até 21/3/2021 e está inscrita na Chapa 2 para concorrer à eleição no Sindicato dos Empregados no Comércio do Município de Marabá  e Sul do Pará (Sindecomar).

Na segunda-feira (11), Dr. Rodrigo Botelho vai entrar com uma ação na Justiça do Trabalho de Marabá, solicitando a readmissão de Cristiane Gomes, assim como fez com outros dois integrantes da Chapa 2, demitidos pela mesma empresa, e readmitidos pela Justiça do Trabalho. O Portal Debate Carajás não conseguiu contato com a gerência do grupo de supermercado em Belém, mas o espaço está franqueado para futuros esclarecimentos.

Fonte: Portal Debate Carajás

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!