Crime ocorreu nos Estados Unidos. Mãe e padrasto foram condenados a 19 e 49 anos de prisão, respectivamente | Reprodução

Um casal foi condenado por matar o filho de apenas dois anos após a criança se recusar a comer um cachorro-quente. O crime aconteceu em Wichita, cidade no interior do Kansas, nos Estados Unidos.

De acordo com  a imprensa local, a mãe da criança, Elizabeth Woolheater, de 24 anos, foi condenada na última sexta-feira (4) a 19 anos de prisão. Já o namorado dela, Lucas Diel, a 49 anos. Anthony Bunn, o filho, foi morto em maio de 2018.

Segundo informações do New York Post, o garoto apanhou da mãe e do padastro até ficar inconsciente. Enquanto ela batia, o homem fazia o menino comer pedaços do lanche à força. Após ser torturada, a criança foi levada ao hospital, mas morreu dois dias depois.

Os acusados confessaram o crime, Elizabeth contou que o namorado bateu no menino outras vezes. Ela disse ter encontrado o filho com o rosto sangrando e um dente quebrado. No entanto, o crime foi entendido como morte em segundo grau (quando não se planeja matar).

As autoridades informaram ainda que o abuso foi denunciado à Agência Estadual de Bem-Estar Infantil sete meses antes de Anthony morrer. O Departamento de Crianças e Famílias da região, contudo, não seguiu o procedimento legais afim de preservar a vida da criança.

DOL, com Metrópoles