Marabá
27°C
Scattered clouds

Casais bissexuais são maioria em aplicativo de ménage

Os dados levam em consideração os mais de 225 mil perfis de casais que fazem parte da comunidade do app
61% dos cadastrados se consideram bissexuais no aplicativo Ysos | Foto: Ilustração
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O mês de junho marca a luta dos LGBTQIA+ contra o preconceito e a favor da diversidade. A sigla representa: lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e transgêneros, queers, intersexuais e assexuais. Já o “+” busca englobar outras pessoas e abreviações, como o “P” da pansexualidade. O fato é que, a cada dia, a causa LGBT ganha mais representatividade e provoca discussões na sociedade.

Em uma pesquisa recente feita pelo Ysos, aplicativo voltado ao ménage à trois criado pelo Sexlog, 61% dos cadastrados se consideraram bissexuais.

Os dados levam em consideração os mais de 225 mil perfis de casais que fazem parte da comunidade do aplicativo.

“Enxergamos que, cada vez mais, há mais casais em que os dois se identificam dessa forma”, esclarece a CMO do Sexlog, rede social criadora do Ysos, Mayumi Sato.

Além dos dados apresentados sobre a sexualidade, a pesquisa ainda demonstrou outro importante dado, que foi a crescente de pessoas que procuraram a plataforma de encontro de casais, registrando um aumento de 66,8% em um comparativo entre os primeiros semestres de 2020 e 2021.

A previsão é de que esse número fique ainda maior se considerarmos os dois anos completos, atingindo a marca de 153,40%, superando o aumento que a plataforma registrou de 2019 para 2020, que foi de 45,10%.

“A quarentena trouxe, sem dúvida, uma grande mudança na vida das pessoas e a busca por novas formas de sentir prazer foi uma delas. O aumento de novos casais no aplicativo foi significativo já neste primeiro semestre e, pelo que estamos acompanhando, isso deve ser ainda maior até o fim deste ano”, pontua Mayumi Sato.

Entre os casais, os participantes têm idade entre 25 a 34 anos (45,34%), seguidos pelos que têm idades entre 35 a 44 anos ( 27,13%), até 24 anos de idade (19,18%) e de 45 a 54 anos de idade (7,15%). Do total, 57,13% procuram outros casais para swing, enquanto 42,78% procuram pessoas solteiras para fazer ménage.

A maioria desses casais estão concentrados na região sudeste do país, com São Paulo puxando a fila, representando 35,2% dos cadastrados na plataforma. Na sequência, Rio de Janeiro (12,45%), Minas Gerais (9,59%), Paraná (6,36%) e Rio Grande do Sul (5,52%) fecham o top cinco estados do Brasil com mais casais swingueiros no Ysos.

O número de São Paulo fica ainda mais surpreendente se formos levar em conta os valores absolutos, com quase 160 mil pessoas adeptas ao swing. Também em números absolutos, podemos destacar de cada região do Brasil os estados do Amazonas (com aproximadamente 5 mil inscritos), Bahia (14 mil adeptos ao swing), Goiás (14 mil) e Paraná (com quase 30 mil pessoas na plataforma).

Mayumi ainda declara que a maioria dos usuários acessam a plataforma duas vezes por semana, representando 78,38% do total. “Os dois dias da semana que têm mais pico de acessos e movimentação no app são segunda e terça. O que entendemos desses dados é que, após passar o fim de semana nos compromissos familiares, os casais aproveitam o início da semana investindo tempo com a intimidade dando atenção pras fantasias e fetiches”, destaca. (Divulgação)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!