Marabá
27°C
Overcast clouds

Caminhoneiros bolsonaristas interditam BR-230 em Marabá

Motorista enfrentam engarrafamento na Rodovia Transamazônica, a altura do km 8, na Vila São José. O bloqueio está sendo liderado pelos empresários do agronegócio.
Trânsito está sendo liberado de 10 em 10 minutos - Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Um meia dúzias de “gatos pingados”, intitulados caminhoneiros bolsonaristas, interditaram a BR-230, a conhecida Rodovia Transamazônica, a altura do km 9, no início da tarde desta quarta-feira (8), sentido a cidade de Itupiranga, em Marabá, no sudeste do Pará.

Motoristas que passaram pelo local afirmaram que o grupo se concentra próximo a Vila São José, desde o início da manhã deste 7 de Setembro, feriado nacional, e dia de manifestações a favor e contra o presidente Jair Bolsonaro. O movimento estaria liberando a passagem de veículos de 10 em 10 minutos.

O grupo seria influenciado ideologicamente pelo motorista Marcos Antônio Pereira Gomes, vulgo “Zé Trovão”, morador da cidade de Joinville (SC). “Zé Trovão” encontra-se foragido desde a ordem de prisão expedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), no dia 3/8/2021, por insuflar ataque às instituições democráticas. O mesmo movimento estaria ocorrendo em várias outras cidades e rodovias Brasil afora.

Wallace Landim, o Chorão, que chefia a Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores), criticou os bloqueios em várias rodovias, feitos por caminhoneiros bolsonaristas, nesta quarta-feira (8).

Ele disse que o movimento está desvinculado da pauta dos caminhoneiros e acusou “o pessoal do agronegócio” que apoia Jair Bolsonaro de estar por trás das paralisações pontuais.

“O pessoal do agro está por trás disso aí. Estamos tentando entender a pauta. A situação econômica é totalmente complicada, a categoria vem sofrendo há algum tempo, estamos com demandas paradas em Brasília, mas existe esse movimento aí. Está bem claro que não é dos caminhoneiros, é um movimento da direita. Não são os caminhoneiros, os transportadores autônomos que estão fazendo esse movimento. É algo diferente.”

Chorão ajudou a liderar a greve da categoria em 2018 e disse que, desde aquele ano, um grupo com “pauta intervencionista” tenta usar a categoria.

“A gente precisa entender que existe um financiamento por trás disso tudo. Vi um caminhão derramando um monte de brita na pista. Esse pessoal sabe quanto está o metro da brita? Quem estaria jogando dinheiro fora assim?”

Para Chorão, “muitos estão sendo obrigados” a participar do movimento de hoje. Ele acusou grandes entidades e corporações de cooptarem caminhoneiros para uma pauta bolsonarista que inclui intervenção militar e fechamento do STF.

Esses desocupados deveriam está lutando para baixar o preço do óleo diesel e, consequentemente, o valor do frete, pois só assim esse aumento absurdo no preço de produtos alimentícios, gasolina a 7 reais, carne custando os olhos da cara e preço do gás de cozinha nas alturas, entre outros produtos, sofreria uma queda significativa. A interdição da BR-230 prejudica sobremaneira a vida dos moradores da região do Carajás.

Áudios e vídeos nas redes sociais mostram que a Rodovia Transamazônica será interditada, totalmente, no início da manhã desta quinta-feira (9). “Não vai passar nada”, narra em vídeo, um suposto líder do movimento radical bolsonarista em Marabá. (Portal Debate Carajás  e O Antagonista)

BR-230 está interditada a altura do Estádio “Asdrubão” – Crédito: Reprodução

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!