Marabá
29°C
Overcast clouds

Bebê morre e pai acusa equipe do Hospital Materno Infantil de negligência médica em Marabá

Claudenor Peixoto - Crédito: Redes sociais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Uma longa denúncia, entremeada de desabafos, publicada hoje (4), por Claudenor Peixoto, pai do pequeno Lorenzo, morto na barriga da mãe, Sarah Maria, na residência do casal, no dia 1/1/2021, fez graves acusações contra a equipe médica de plantão do Hospital Materno Infantil (HMI), em Marabá, no sudeste do Pará,.

Claudenor atribui a morte do filho à realização de procedimentos fora dos padrões recomendados pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Para ele, a gestante não recebeu o acolhimento adequado desde o momento que deu entrado na Maternidade Municipal, no dia 31/12/2020, pois a esposa é diabética e precisava de um acompanhamento especializado.

O texto relata a ausência de um médico pediatra das 7 às 9h de plantão no HMI. Diante do quadro clínico da grávida, depois de ser medicada, os dois optaram em retornar para casa, porém, por volta de 10h30, ambos perceberam que o feto não se mexia mais. Ao retornarem ao Materno Infantil, foi constatado o óbito do bebê.

A partir desse momento, o pai narra uma série de supostos erros médicos e supostas tentativas de dissuadi-lo de registrar um boletim de ocorrência com o intuito de processar a equipe médica de plantão. No final da publicação, ele jura lutar até os últimos minutos de sua vida para responsabilizar os culpados pela morte precoce de seu filho Lorenzo.

Crédito: Whatsapp

Prefeitura de Marabá

A Redação do Portal Debate Carajás conversou com a Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura de Marabá e foi informado que o Hospital Materno Infantil só vai se pronunciar a respeito do caso, depois que receber o laudo pericial, a ser fornecido pelo Instituto Médico Legal (IML) de Marabá, mas, em princípio, não teria havido negligência médica. O caso vem dando o que falar nas redes sociais de Marabá.

Fonte: Humberto Viana Alicante

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!