Marabá
27°C
Scattered clouds

Helder Barbalho volta a entrar na mira da CPI da Covid

O inquérito embasou a Operação SOS, que investiga a fraude na compra de respiradores no Pará
O governador Helder Barbalho | Foto: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A decisão monocrática, expedida pela ministra Rosa Maria Pires Weber, conhecida como “Rosa Weber”, Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu, no dia 21/6/2021, a convocação de governadores pela CPI da Covid-19, entre eles, o governador do Estado do Pará, Helder Barbalho (MDB).

“Barbalhinho”, como Helder é chamado pelos adversários, é acusado pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) de ser o chefe de uma organização criminosa, suspeita de desviar recursos públicos na área da saúde, destinados a contratação de organizações sociais para gestão de hospitais públicos do Pará, dentre eles os hospitais de campanha montados para enfrentamento da pandemia dA Covid-19.

Para o Superior Tribunal de Justiça (STJ), Helder Barbalho teve atuação apontada como “essencial” na “empreitada criminosa”. Na última semana, a “CPI da Covid” conseguiu acesso ao inquérito sigiloso que mira Helder Barbalho, governador do Pará. Vale ressaltar que o pai de Helder, senador Jader Barbalho, faz parte da Comissão Parlamentar de Inquérito, porém nunca deu as caras na sala de reunião.

O inquérito que chegou às mãos dos senadores da “CPI da Covid” trata da gestão de Barbalho e embasou a Operação SOS. A Polícia Federal investiga uma fraude na compra de respiradores para o enfrentamento da Covid-19. O “Barbalhinho” se defende, afirmando que todo o recurso foi recuperado, não havendo dano a erário público. Fato é que a um pouco mais de um ano para as eleições, a corrupção no governo Helder volta para a “crista da onda”. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!