Foto: Jordão Nunes

A penúltima noite do 34º Festejo Junino de Marabá foi decisiva para as cinco quadrilhas juninas que compõem o Grupo B e disputavam a final. A grande campeã, a Junina Balão de Chita, ascendeu para o Grupo A, além de ter faturado uma quantia em dinheiro. A noite de sexta-feira (28) também foi de premiação para a melhor noiva, rainha e marcador da Série B. Outras apresentações que representaram um show à parte foram as quadrilhas mirins, com figurinos impecáveis e temas da década de 1980 que deixaram os adultos saudosos.

A primeira Quadrilha Junina Mirim a se apresentar foi a Pinga Fogo, do bairro Nossa Senhora Aparecida. Com o tema “A fogueira está queimando em homenagem a São João – nós queremos mesmo é dançar”, os pequenos levantaram a plateia. Logo em seguida, a Junina Fogo no Rabo Mirim com a temática “A Turma do Balão Mágico numa noite de São João”, retratou músicas da década de 1980. A fofura tomou conta da arena quando o casal de noivos Emile e Ian apresentaram uma performance romântica. Personagens do Balão Mágico também foram representados.

Na disputa para subir rumo ao Grupo A, a primeira junina a tomar a arena foi a Coração de Estudante, pertencente à Comunidade da Vila Santa Fé, a quadrilha levou alegria à arena com as cores laranja e verde. Cada junina teve o tempo cronometrado em até 30 minutos, acresça-se a isso, 10 minutos para montar o cenário. A segunda a se apresentar foi a Coração da Juventude Caipira, da Vila São José, Km 8. Após dez anos parada, a junina da zona rural sacudiu a poeira e como tema contou a própria história.

A terceira a tomar a arena foi a Junina Levada Louka. O tricampeão mundial Ayrton Senna foi o ídolo homenageado pelos quadrilheiros, com direito a capacete e tudo, eles levaram o tema “Velocidade, amor e paixão”. A penúltima a se apresentar foi a Junina Águia de Fogo, que inclusive, teve sua noiva e rainha tidas como as melhores do Grupo B. A Águia de Fogo teve como tema: “Uma noite de luar, fogueira e balão, em uma noite de São João para abençoar nossa união”.

Foto: Jordão Nunes

A quinta e última quadrilha a se apresentar, Balão de Chita, sagrou-se campeã do Grupo B. A comunidade do Bairro São Félix, levou trechos de poemas do poeta cearense Patativa do Assaré, encaixados no contexto junino. Para Deyvid Borges, coordenador da Balão de Chita e melhor marcador da Série B, essa mistura deu muito certo. Ele acompanhou de forma tímida a apuração, mas ao sair a notícia da grande vencedora, esbouçou um sorriso.

“A gente sente que o dever foi cumprido, nós que somos de instituição social da Estação de Conhecimento que funciona no São Félix, com apoio da Fundação Vale e da Prefeitura de Marabá. É muito gratificante, porque são jovens e adolescentes que vivem muita situação de risco social, então fazemos esse trabalho social na comunidade desde 2013. É o primeiro contato do pessoal com quadrilha, então é gratificante trazê-los aqui e sagrar-se campeão. Agradeço muito a Deus e as pessoas que nos ajudam. É um aglomerado de pessoas que trabalham por trás para que esse resultado aconteça. O trabalho do coletivo trouxe o título para a Balão de Chita”, comemorou ele.

A premiação da Balão de Chita foi R$ 2.500 em dinheiro, um troféu e mais o acesso ao Grupo A para o ano que vem.

Resultados

  • 1º lugar: Balão de Chita – 58.9
  • 2º lugar: Águia de Fogo – 51.8
  • 3º lugar: Coração de Estudante – 48
  • 4º lugar: Levada Louka – 43.5
  • 5º lugar: Coração da Juventude – 42.8

Divulgação