Marabá
29°C
Overcast clouds

Aulas presenciais na rede municipal retornam na próxima segunda (13)

Segundo a secretária municipal de Educação, Marilza Leite, o retorno às aulas presenciais só foi possível depois de um parecer técnico da Vigilância Sanitária, da vacinação de professores e preparação do ambiente escolar para este novo momento, com um rigoroso protocolo de biossegurança
Foto: Arquivo/Prefeitura de Marabá
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

As aulas presenciais na rede municipal de educação de Marabá já têm data para o retorno. Será no dia 13 de setembro, portanto na próxima segunda-feira. São cerca de 54 mil estudantes que estavam respondendo a atividades remotas, em casa, desde março de 2020. Com tanto tempo longe da escola, a grande maioria já está ansiosa para rever professores e amigos.

Segundo a secretária municipal de Educação, Marilza Leite, o retorno às aulas presenciais só foi possível depois de um parecer técnico da Vigilância Sanitária, da vacinação de professores e preparação do ambiente escolar para este novo momento, com um rigoroso protocolo de biossegurança. “Estamos preparados e bastante confiantes de que o momento é propício. Instalamos mais ventiladores nas salas de aula e tomamos diversas outras medidas para tornar cada ambiente mais arejado. Colocamos mais pias, fornecemos máscaras, álcool 70%, aparelhos para aferir a temperatura e termômetro digital”, explica.

Marilza Leite, secretária municipal de Educação

Ela também informa que técnicos da Fundação Lemann ministraram formação para gestores e educadores da rede municipal para que eles façam um acolhimento afetivo na primeira semana de aulas e, assim, os alunos se readaptem mais facilmente ao ambiente escolar e às mudanças promovidas.

A secretária ressalta que as aulas retornam, mas durante o mês de setembro funcionarão em regime de revezamento, sendo que 50% do total de alunos matriculados na turma serão atendidos de forma presencial e, ao mesmo tempo, 50% em atividades remotas por meio do caderno de estudos.

Para o mês de outubro, segundo ela, com base na avaliação do contexto epidemiológico realizada pela Vigilância Sanitária e Comitê de Combate à Pandemia da covid-19 do município de Marabá, será decidido se os estudantes retornarão 100% às aulas presenciais, ou se será mantido o regime de escalonamento em 50%.

O regime de escalonamento e revezamento poderá ter duração de até dois meses, de modo que nas turmas de Educação Infantil, anos iniciais do Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos-EJA (1ª e 2ª Etapas) e Sistema de Organização Modular de Ensino – SOME, o revezamento ocorrerá diariamente, alternando entre um dia e outro. Já nas turmas dos anos finais do Ensino Fundamental e EJA (3ª e 4ª etapas), o revezamento será semanal.
Nas turmas do Ensino Personalizado da EJA não haverá a necessidade de escalonamento devido à sua estrutura curricular e à organização de atendimento dos estudantes por grupos agendados.

A secretária aponta que os resultados das redes privada e estadual de ensino, que retornaram às aulas presenciais um pouco antes, como parâmetro para as medidas adotadas pelo município. “Caso ocorra qualquer tipo de intercorrência, o aluno será levado para uma sala a parte e ficará aguardando os seus responsáveis, para que a gente tome as medidas cabíveis, inclusive encaminhando a criança para o Hospital Municipal”, antecipa.

Marilza Leite também enfatiza que o uso de máscara será obrigatório para todos que estiverem no ambiente escolar, incluindo professores e alunos. A Semed, segundo a secretária, adquiriu duas máscaras para cada estudante e também aos professores.

Avaliação diagnóstica

Segundo a secretária de Educação, todos os alunos da rede municipal participarão de uma avaliação diagnóstica, a qual apontará quais os conteúdos eles têm maior defasagem. A partir daí, será desenvolvido um trabalho específico para fortalecer a aprendizagem que possa ter ficado com falhas durante o período das aulas remotas.
Como as aulas estão em andamento desde o início de 2021, o atual ano letivo está previsto para encerrar em 8 de dezembro, mas aqueles que precisarem de recuperação permanecerão na escola até o dia 22 de dezembro. Já o ano letivo de 2022 deve iniciar em 18 de janeiro. “Nós iremos cumprir as 800 horas letivas, porque o MEC abriu mão dos 200 dias letivos, mas não das 800 horas de atividades curriculares”.

Horário da merenda

O horário da merenda escolar, que tradicionalmente ocorre com aglomeração nos pátios das escolas, também passará por adaptação no primeiro momento. Segundo a secretária Marilza Leite, cada escola preparou um plano de ação específico para sua realidade. Algumas servirão o lanche na sala de aula, outras implantarão horário alternado para as turmas saírem para o recreio, mas todas seguindo o protocolo de biossegurança apontado pelas autoridades de saúde. (Com Ascom Semed)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!