Marabá
25°C
Clear sky

Agentes do Detran são treinados sobre uso de armas de menor potencial ofensivo

Objetivo é dosar a aplicação dos instrumentos para que o agente saiba mensurar o momento a que se deve recorrer ao equipamento e evitar possíveis excessos
Foto: Asdecom/Detran
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Formar agentes para uma atuação mais efetiva em fiscalizações de trânsito. Esse foi o objetivo do Curso de Capacitação e Utilização de Instrumentos de Menor Potencial Ofensivo, ministrado pelo Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA) no domingo (12). Entre os instrumentos utilizados na capacitação, constam o espargidor (spray de gengibre), algemas e bastão retrátil. Adquiridos em parceria com a Polícia Militar, os equipamentos são usados por agentes do Sistema de Segurança Pública, incluindo os que atuam na segurança viária, somente em casos de necessidade.

Com menor potencial de causar lesões, esses equipamentos são utilizados pelo Detran em situações de desacato que colocam em risco a integridade física dos agentes. O coordenador de operações do Detran, Ivan Feitosa, explica que o exercício da atividade de fiscalização nem sempre é bem visto por quem é autuado e, apesar de se tratar de exceções, há situações em que o agente é agredido na via. “São equipamentos de defesa utilizados somente diante de condutores exaltados, uma vez que a atuação de rua é uma atividade que gera certo estresse, o que requer proteção e autocontrole de quem está fiscalizando”, explica Feitosa.

Durante o treinamento, os participantes realizaram oficinas práticas se colocando na posição do usuário que vai ser alvo dos equipamentos. Segundo Feitosa, o objetivo é dosar a aplicação dos instrumentos para que o agente saiba mensurar o momento certo a ser utilizado e evitar possíveis excessos.

Com 11 anos de fiscalização, Fábio Santiago afirma que o curso representava um antigo anseio da categoria. “Antes éramos meros contribuidores do trânsito, hoje estamos na linha de frente, então sempre cobrávamos esse treinamento porque a gente se recicla o tempo todo e se aprimora com técnicas de defesa”, comentou.

Jhuliane Rodrigues foi admitida no concurso público de agente de fiscalização recentemente e para ela, o treinamento é primordial para mostrar na prática todas as situações vivenciadas no trânsito. “Estamos aprendendo como fazer o certo, nesse caso fazer o uso da força, porém, com todas as técnicas para não lesionar o condutor”, observa Jhuliane.

O treinamento começou na última sexta-feira (10) com carga horária de 30 horas. Nesta turma, 58 agentes foram capacitados, mas a formação vem sendo realizada desde o início do ano e em breve todos os mais de 350 agentes serão capacitados, incluindo os que atuam na fiscalização no interior do Estado. (Portal Debate Carajás, com Agência Pará)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!