Marabá
31°C
Clear sky

Ex-vereador acusado de mandar matar conselheiro tutelar é preso em Marabá

Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Agentes da Polícia Civil, por meio da Superintendência Regional do Xingu, Núcleo de Apoio à Investigação (Nai) e Delegacia de Conflitos Agrários (Deca) de Altamira, no oeste do Pará, deflagraram na manhã desta quarta-feira, 20, uma ação de cumprimento de mandados de prisão preventiva nos municípios de Anapu e Marabá, no sudeste do Pará.

As ordens expedidas pela Justiça são resultados de investigações sobre um crime de homicídio ocorrido em dezembro de 2019, que vitimou Paulo Anacleto, de 51 anos, que foi vereador e era conselheiro tutelar no Anapu.

Durante as investigações, a Polícia Civil utilizou vários métodos de investigação como cumprimentos de Mandando de Busca e Apreensão Domiciliar, Interceptação Telefônica e Quebra do Sigilo de Dados Telefônicos.

Ao final da fase, foi possível concluir que o crime teve motivações políticas. Diante dos fatos, a Polícia Civil indiciou e representou a Prisão Preventiva de três criminosos, entre eles, Laurinei de Freitas Ramos, que foi titular da Secretaria de Administração da na gestão anterior, e João Batista Brito Sousa, preso em hotel de Marabá, vereador que foi presidente da Câmara dos Vereadores do município de Anapu. Eles são apontados como mandantes do crime.

Durante as diligências, dois indiciados como mandantes foram presos nos municípios de Anapu e Marabá, e encaminhados para Unidade Policial para procedimentos cabíveis. A Polícia Civil também faz buscas para localizar e prender o terceiro envolvido, que segue foragido da justiça. Ele responderá pela execução do homicídio.

Paulo Anacleto foi morto na frente do filho.

Fonte: A Voz do Xingu

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!