O juiz, Iran Kurban Filho, titular da 2ª Vara Criminal da Justiça,
em Barra do Corda, Região Central do Maranhão, decidiu, no dia 13/12/2018,
levar a júri popular, Manoel Mariano de Sousa Filho, conhecido como “Júnior do Nenzinho”,
acusado de ter assassinado seu próprio pai, Manoel Mariano de Sousa, o “Nenzinho”,
na manhã do dia 6/12/2017. Na época, o assassinato de Manoel Mariano comoveu
Barra do Corda e abalou o estado do Maranhão.
 
Nenzinho
foi vereador entre os anos de 1993 a 1996. Em 1996, a vítima foi eleito prefeito
de Barra do Corda e ocupou o cargo máximo da administração municipal por mais
dois mandatos.
Nenzinho
foi assassinado com um tiro no pescoço, em 6 de dezembro de 2017, na zona rural
de Barra do Corda, a 341 km de São Luís, no dia em que o ex-prefeito faria a
contagem do gado de uma de suas fazendas, por suspeitar de roubo do rebanho. Na
fazenda deveria existir 635 cabeças de gado, porém apenas 81 animais teriam
sido localizados no pasto.
Manoel Filho foi preso acusado do assassinato do próprio pai. O
crime estaria ligado a questões financeiras relativas à herança e furto de gado
cometido por ele. Após mais de um ano de investigação, a justiça do Maranhão
encontrou elementos suficientes para levar o parricida a júri popular.