Marabá
26°C
Overcast clouds

Abertura de 50 ‘covas’ revolta moradores da Vila Murumuru na zona rural de Marabá

Foto: (Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A presença de uma máquina retroescavadeira, abrindo sepulturas, no cemitério da Vila Murumuru, localizada a 8 km do bairro Morada Nova, em Marabá, no sudeste do Pará, durante a manhã de ontem (23), provocou revolta e indignação entre os moradores do pequeno vilarejo.

De acordo com a comunidade, as ‘covas’ estariam sendo preparadas para receber corpos, vitimados pela Covid-19, de Belém, pois os cemitérios da capital paraense já estariam entrando em colapso. Caso fossem enterrados em Murumuru, os moradores passariam a correr sérios riscos de contaminação através do novo coronavírus.

Segundo o operador da retroescavadeira, a abertura das ‘covas’ foi determinada pela Prefeitura de Marabá. “Retornaremos amanhã, com força policial, para terminar o serviço”, teria dito o maquinista. Durante a noite, vários vídeos e fotos mostravam os habitantes do lugar tapando os buracos. “Os moradores vão bloquear a entrada de Murumuru”, protestaram.

Adeptos da ‘teoria da conspiração’ passaram a afirmar que as sepulturas estavam sendo preparadas para receber corpos de Marabá, porque haveria uma enorme quantidade de pessoas contaminadas e os dois maiores cemitérios públicos não possuem área suficiente para atender a demanda provocada pela Covid-19. 

Não existe nenhuma certeza se as ‘covas’ seriam destinadas a pacientes oriundos de Belém ou Marabá. No final da Noite de ontem, o Portal Debate Carajás fez contato com a Secretaria de Comunicação da PMM, porém, Alessandro Viana, afirmou que somente hoje poderia se pronunciar sobre a celeuma em Murumuru.

Debate Carajás

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!